Potências mundiais devem traçar “limites claros” sobre a Rússia, afirma Macron

Desde 2017, o presidente francês tenta apaziguar a desconfiança entre a Rússia e o Ocidente

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 18 abril - 15:09

Em uma entrevista à emissora de televisão norte-americana CBS, o presidente da França, Emmanuel Macron, disse que as potências mundiais devem traçar “limites claros” em relação à Rússia e considerar possíveis sanções quando eles forem ultrapassados.

A entrevista foi gravada na sexta-feira (16) e deve ir ao ar neste domingo (18). O presidente afirmou que esse seria o único jeito de “ter credibilidade”.

Presidente França, Emmanuel Macron

Foto: Sergio Foo_biker

Putin assina lei que lhe permite concorrer a mais dois mandatos presidenciais na Rússia

“Sanções não são suficientes em si, mas são parte de um pacote”, disse, acrescentando também que concordava com a disposição do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de abrir um diálogo com o presidente da Rússia Vladimir Putin em um momento em que as tensões estão acirradas. 

Desde que foi eleito em 2017, Macron tenta reduzir a desconfiança entre a Rússia e o Ocidente, na esperança de conseguir a ajuda de Moscou para resolver crises mundiais. Em uma mudança de tom, o líder francês citou a anexação da Crimeia, na Ucrânia, por parte da Rússia em 2014 como um episódio em que a diplomacia ocidental foi “complacente demais”. 

Estados Unidos aplica sanções contra a Rússia

Na quinta-feira (15) o governo dos Estados Unidos anunciou sanções políticas e financeiras contra a Rússia. Entre elas, está a expulsão de 10 diplomatas do país. A decisão é uma resposta aos ataques cibernéticos e à interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas em 2020.

As medidas incluem sanções a seis empresas da Rússia que prestam apoio a atividades cibernéticas do país, além de sanções a 32 indivíduos e entidades acusadas de tentar inserir na eleição em que Biden foi vencedor, inclusive espalhando fake news para os eleitores. Segundo a Casa Branca, os 10 diplomatas expulsos incluem representantes dos serviços de inteligência russos. 

LEIA MAIS

Irmã de Kim Jong-un alerta Joe Biden sobre novo governo

França impõe quarentena de dez dias a viajantes do Brasil e outros países

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você