Países da Ásia procuram outros meios de obter vacinas após Índia limitar exportações

A Índia, a maior produtora de vacinas no mundo suspendeu a exportação para suprir a demanda do país

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 30 março - 14:50

Nesta terça-feira (30) alguns países da Ásia começaram a procurar fontes alternativas de vacinas contra o coronavírus, uma vez que, o as restrições de exportação de um dos maiores fabricantes localizada na Índia, deixaram o programa global de compartilhamento de vacinas apoiados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) com uma escassez de produtos. 

Países como a Coreia do Sul, Filipinas e Indonésia estão entre os mais prejudicados pelo atraso de entregas de doses que lhes foram prometidas pelo consórcio de vacinas Covax, projeto criado para levar o imunizante aos países mais pobres. 

Anvisa recebe pedido para uso emergencial da vacina da Janssen

Foto: Reprodução/Pixabay

A Índia, maior fabricante de vacinas no mundo, decretou uma suspensão temporária das exportações da vacina AstraZeneca, fabricadas pelo Instituto Serum, para conseguir suprir a demanda local. 

OMS pede doação imediata de 10 milhões de vacina para o programa Covax

Está previsto que o Instituto entregue 90 milhões de doses de vacina ao Covax nos meses de março e abril, entretanto facilitadores do projeto afirmaram que atrasos na entrega serão inevitáveis.

A Coreia do Sul afirmou que só vai receber 432 mil doses das 690 mil prometidas e que a entrega só será feita no meio do mês de abril. 

O chefe de vacinação das Filipinas afirmou que a China e a Rússia estão se preparando para preencher a lacuna, segundo ele: “Temos boas relações diplomáticas com China e Rússia e estamos perguntando se podemos ter acesso a vacinas deles em abril.”

LEIA MAIS

Palestina recebe primeiras vacinas anticovid do Covax

Estados unidos suspende comércio com Mianmar após mais mortes violentas em protestos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você