ONU alerta que 34 milhões de pessoas estão a um passo da pobreza extrema

Situação em mais de 20 países é agravada por conflitos internos e pandemia da Covid-19

Por: Marina Correa de Genaro | 24 março - 14:30

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a fome extrema deve aumentar em mais de 20 países nos próximos meses. Em algumas regiões do Iêmen, Sudão do Sul e no norte da Nigéria, famílias estão morrendo de fome, revela relatório da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa Alimentar Mundial (PAM).

A situação de fome extrema é acentuada por conflitos internos, alterações climáticas e pela pandemia de Covid-19. Em alguns lugares, é também agravada pela praga de gafanhotos.

pobreza extrema

Foto: WFP/Oscar Duarte

O PAM e a FAO acrescentam que mais de 34 milhões de pessoas do mundo lutam com níveis alarmantes de fome extrema. Esse número pode aumentar drasticamente nos próximos meses se a assistência internacional não for aplicada, segundo relatório divulgado pelas duas agências.

A fome pode aumentar vertiginosamente na maioria das regiões do mundo, incluindo a Síria, o Haiti, a América Latina, o Afeganistão e Líbia. No início do mês, a FAO e o PAM pediram US$ 5,5 bilhões para evitar a fome, por meio da assistência alimentar humanitária e intervenções urgentes de subsistência.

O relatório conclui que “a América Latina vai ser a mais atingida pelo declínio econômico e a recuperação mais lenta”.

LEIA MAIS:

Em pronunciamento, Dória anuncia vacinação para profissionais da educação e de segurança

Bolsonaro anuncia criação de comitê anti-Covid

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você