Jurados retomam deliberação sobre Derik Chauvin, ex-policial acusado de matar George Floyd

Parte dos argumentos foi ouvido pelos membros do júri ontem (19)

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 20 abril - 16:48

Nesta terça-feira (20) os jurados começam o segundo dia de deliberações no julgamento de Derek Chauvin, ex-policial da cidade norte-americana de Minneapolis acusado de assassinato após ter se ajoelhado no pescoço de George Floyd ao tentar prendê-lo em maio de 2020. 

Isolados, os 12 jurados devem analisar três semanas de depoimentos de 45 testemunhas, incluindo transeuntes e especialistas médicos, além de horas de indícios em vídeo do caso de má conduta policial de Chauvin.

mural em homenagem a George Floyd

Foto: Reprodução/ flickr

Chauvin, um cidadão branco, se declara inocente de todas as acusações. 

Depois de ouvir os argumentos finais durante a maior parte de ontem (19), o júri precisa chegar a um veredicto unânime sobre cada acusação para condenar ou absolver Derek. Caso, haja uma discordância, poderá haver a anulação do julgamento, mas o Estado poderia julgar Chauvin novamente. 

O caso depende de o júri acretidar no argumento da procuradoria de que Chauvin usou uma força excessiva, ou seja, ilegal, que levou Floyd a morte. A defesa contrapôs que Chauvin se comportou como “qualquer policial sensato faria” e tentou provocar dúvidas a respeito do que levou George a óbito, afirmando que sua doença cardíaca pré-existente ou até a fumaça do escapamento da viatura da polícia poderiam ter sido fatores que mataram a vítima.

Relembre o caso

No dia 25 de maio de 2020, George Floyd um homem afro-americano, foi assassinado no estado de Minneapolis nos Estados Unidos, após o policial Derek Chauvin ajoelhar-se em seu pescoço durante oito minutos e quarenta e seis segundos, enquanto George estava deitado de bruços, afirmando que não conseguia respirar. 

As imagens divulgadas ganharam repercussão mundial. Diversas manifestações nos EUA e também em outros países foram realizadas em prol de denunciar a ação policial contra George diante das câmeras. Com a morte de Floyd o movimento “Black Lives Matter” ganhou proporção mundial e mobilizou o mundo a denunciar a morte violenta de pessoas negras.

LEIA MAIS

Policial acusada de matar Daunte Wright nos EUA paga US$ 100 mil de fiança e é solta

Protestantes entram em confronto com a polícia em Minnesota, após morte de homem negro em abordagem policial

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você