Irmã de Kim Jong-un alerta Joe Biden sobre novo governo

Comentário de Kim Yo-jong é dado antes de viagem do presidente até a Ásia

Por: Leonardo Fernandes | 16 março - 09:03

A irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un enviou um alerta ao atual presidente estadunidense Joe Biden, a respeito da diplomacia entre Estados Unidos e Coreia do Sul; e consequente, Coreia do Norte. Kim Yo-jong, que é vice-diretora do Departamento de Propaganda do país, criticou a recente aliança militar entre sul-coreanos e americanos estabelecida na semana passada.

O comunicado de Yo-jong foi divulgado na terça-feira (16), horário local. De acordo com a vice, suas palavras foram um conselho para os Estados Unidos não deixarem “cheiro de pólvora” em território norte-coreano.

Bandeira da Coreia do Norte em sacada de prédio

Representantes da Coréia do Norte no Brasil com bandeira norte-coreana, na época dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

“Para o novo governo que quer espalhar o cheiro de pólvora em nossas terras: Se quiserem dormir em paz durante os quatro anos que virão, é melhor não causarem problemas logo no seu primeiro passo”, disse a diretora.

Kim Yo-jong também considerou as atividades militares conjuntas entre Coreia do Sul e EUA como “treinos de guerra que não combinam com diálogo e cooperação”. Os dois países iniciaram testes e treinamentos virtuais por meio de simuladores, que ainda não passaram para o presencial por conta da pandemia de Covid-19.

A relação entre Coreia do Sul e Coreia do Norte

Com uma relação historicamente conturbada desde a Guerra da Coreia nos anos 50, a diplomacia entre os lados Norte e Sul melhoraram a partir de 2018. Há três anos, os países estavam em trâmite para assinar um acordo de paz que daria fim ao armistício estabelecido desde 1953; mas, para Kim Yo-jong, tais conversas “não ocorrerão com facilidade de novo” caso o governo de Seul continue a amigar com os Estados Unidos.

Vale lembrar que o líder Kim Jong-un mantinha comunicação com o ex-presidente Donald Trump, com que teve três reuniões de cúpula. Mas agora, o governo de Pyongyang nega diálogo com Biden no poder, como foi reportado por um comunicado da Casa Branca na última segunda-feira (15).

A Coreia do Norte diz que só voltará a ter contato com os americanos quando os Estados Unidos “darem fim às suas políticas hostis”. Nessa semana, representantes de Joe Biden viajam ao Japão, Coreia do Sul e China para reuniões acerca da influência da China na Ásia.

Leia mais notícias:

China é atingida pela pior tempestade de areia da última década

Biden assina plano de ajuda econômica de US$ 1,9 trilhão

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você