Começa o julgamento de Derek Chauvin, policial acusado de matar George Floyd

O júri irá se reunir nesta segunda-feira (29). O julgamento pode levar até quatro semanas

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 29 março - 15:48

Nesta segunda-feira (29) o júri americano irá se reunir para julgar Derek Chauvin (45), ex-policial da cidade norte-americana de Minneapolis, que cometeu um homicídio durante a prisão de George Floyd em maio de 2020.  

Se o agente for condenado pela acusação mais grave, pode receber uma pena de até 40 anos de prisão. Ele se declara inocente das acusações. 

mural em homenagem a George Floyd

Foto: Reprodução/ flickr

A argumentação de seus advogados é de que o ex-policial obedeceu o treinamento e que a causa oficial da morte de Floyd foi uma overdose de drogas. 

A seleção dos 15 membros que compõe o júri levou cerca de duas semanas para ser oficialmente concluída e hoje (29) a defesa e a acusação irão iniciar suas argumentações. 

No total o julgamento deve durar entre duas e quatro semanas. A próxima fase é escutar testemunhas da ação policial e por último acontece o interrogatório.   

No domingo (28) aconteceu uma cerimônia religiosa em homenagem a George Floyd a algumas quadras onde ele foi detido e morto, o irmão de George disse estar confiante sobre a prisão de Chauvin e afirmou “o vídeo é a prova”. 

Relembre o caso

No dia 25 de maio de 2020, George Floyd um homem afro-americano, foi assassinado no estado de Minneapolis nos Estados Unidos, após o policial Derek Chauvin ajoelhar-se em seu pescoço durante oito minutos e quarenta e seis segundos, enquanto George estava deitado de bruços, afirmando que não conseguia respirar. 

As imagens divulgadas ganharam repercussão mundial. Diversas manifestações nos EUA e também em outros países foram realizadas em prol de denunciar a ação policial contra George diante das câmeras. Com a morte de Floyd o movimento “Black Lives Matter” ganhou proporção mundial e mobilizou o mundo a denunciar a morte violenta de pessoas negras.

LEIA MAIS

Estados Unidos pressionaram Brasil a não comprar vacina russa

Estados Unidos diminui o número de hospitalizações de idosos e começa a sentir os efeitos da vacinação

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você