Biden classifica violência com armas de fogo nos EUA como uma ‘epidemia’

Presidente americano comunicou uma série de anúncios para controlar o porte de armas no país

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 08 abril - 15:04

Nesta quinta-feira (8) o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, comunicou uma série de anúncios para controlar a violência por armas de fogo no país. Entre essas medidas, o presidente pediu a proibição dos fuzis de assalto do tipo militar para cidadãos.

“Deveríamos proibir os fuzis de assalto e os carregadores de alta capacidade.”, disse o presidente em uma cerimônia na Casa Branca. Biden classificou também a violência com armas de fogo no país como uma “epidemia.”

O presidente americano Joe Biden

O presidente americano Joe Biden; Foto: Agência Brasil/Divulgação

“Isso é uma epidemia e precisa parar” afirmou o democrata, referindo-se também aos episódios de tiroteio no país como uma “crise de saúde pública”. 

Também foi anunciado nesta quinta-feira um decreto para melhorar o rastreamento de armas de fogo, especialmente para prevenir a propagação das chamadas “armas fantasmas” que são impossíveis de rastrear. 

Biden tem recebido bastante pressão por parte dos seus aliados democratas para impor medidas nacionais sobre o controle de armas após ocorreram  tiroteios no Colorado, na Geórgia e na Califórnia só nestes primeiros quatro meses do ano.

Proibição das armas de fogo

Após o tiroteio no estado do Colorado, no dia 22 de março em um supermercado, que deixou 10 mortos, Biden vem analisando a possibilidade de proibir as armas no país. 

Em um comunicado após o crime, Biden insistiu que é necessário agir para salvar vidas no país. “Eu não preciso esperar nem mais um minuto, ainda mais outra hora, para tomar medidas de senso comum que salvarão vidas”, afirmou o presidente

LEIA MAIS

Nos Estados Unidos, Capitólio entra em lockdown por ameaça de atentado, dois policiais foram feridos

Estados unidos suspende comércio com Mianmar após mais mortes violentas em protestos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: