Biden avalia proibição de armas de assalto, após tiroteio matar 10 pessoas no Colorado

Presidente americano deu declarações em resposta ao massacre que ocorreu ontem (22)

Por: Murilo Amaral Feijó | 23 março - 17:00

Nesta terça-feira (23), a secretária de Imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, anunciou que o presidente dos EUA, Joe Biden, está analisando a possibilidade de proibir a venda de armas semiautomáticas, através de uma ordem executiva.

Com a ordem executiva, Biden pode decretar regras sem que elas passem pelo Congresso. Ainda nesta terça-feira, o presidente pressionou o Senado para que passem o texto que amplia o controle de antecedentes na venda de armas no geral. O texto já foi aprovado pela Câmara.

Família com policial em supermercado no Colorado, após massacre

Foto: Reprodução/Twitter

O controle de armas nos Estados Unidos é um assunto que é discutido há décadas e que gera grandes polarizações entre o povo americano.

Após um homem armado matar 10 pessoas em um supermercado, no estado de Colorado, na noite de ontem (22), Biden insistiu que é necessário agir para salvar vidas no país. “Eu não preciso esperar nem mais um minuto, ainda mais outra hora, para tomar medidas de senso comum que salvarão vidas”, afirmou o presidente.

Ele também ordenou que bandeiras da Casa Branca fossem posicionadas a meio-mastro e ainda acredita que conseguirá “banir armas semiautomáticas e cartuchos de alta capacidade de armazenamento, mais uma vez”. Em 1994, armas como as citadas por Biden foram banidas pelo Congresso, durante o governo de Bill Clinton (1993-2000).

No último dia 16 de março, 8 pessoas morreram, a maioria mulheres asiáticas, em tiroteios em três casas de massagem na Geórgia, nos Estados Unidos. O suspeito foi detido e uma investigação foi iniciada.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Banco Mundial amplia financiamento de vacinas

Coronavírus pode continuar ativo no organismo humano por mais de 14 dias

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você