Argentina se torna primeiro país da América Latina a produzir a vacina russa contra covid-19

Uma companhia argentina conduziu a primeira produção teste e os lotes vão ser enviados ao Instituto Gamaleya para inspeção de qualidade

Por: Bianca Antunes | 21 abril - 15:31

A Argentina iniciou a primeira fabricação da vacina russa Sputnik V contra a covid-19 na América Latina. Uma empresa do país produziu lotes testes do imunizante, com planos de aumentar a escala de produção no meio do ano.

O Fundo Soberano russo RDIF e Laboratórios Richmond que anunciaram a produção nesta terça-feira (20). Segundo eles, a companhia farmacêutica argentina conduziu a primeira produção teste e os lotes vão ser enviados ao Instituto Gamaleya, na Rússia, para uma inspeção de qualidade.

Foto: Divulgação/Agência Brasil

“Estimamos que, se o processo for positivo, a produção em escala começará em junho de 2021”, disse a Richmond em nota. O laboratório ainda afirmou que tem o objetivo de deixar a vacina pronta “no menor tempo possível para o país e a região”.

Eficácia da Sputink V

A Rússia anunciou nesta segunda-feira (19) que a vacina contra o coronavírus, Sputnik V, possui eficácia de 97,6% após a aplicação das duas doses. Os dados foram divulgados pelo Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e pelo Centro de Pesquisa Gamaleya.

Os números são baseados em uma pesquisa que contou com 3,8 milhões de pessoas. Do total de imunizados entre 5 de dezembro do ano passado a 31 de março de 2021, a taxa de infecção a partir do 35º dia após a primeira dose foi de 0,027%. Leia mais. 

LEIA TAMBÉM:

Governadores negociam com o ministério a inclusão da vacina Sputnik V na imunização

Opas diz que Brasil reporta queda de casos de covid-19, mas situação ainda é alarmante

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você