Governo de SP define escolas como atividades essenciais durante a quarentena

O objetivo é manter aulas presenciais em instituições públicas e privadas, mesmo durante as fases mais rígidas de restrição

Por: Maria de Toledo Leite | 27 março - 20:25

Neste sábado (27), o governo de SP publicou um decreto no qual define as atividades de instituições de ensino públicas e privadas como essenciais durante as fases de restrição contra a pandemia da Covid-19.

Dessa forma, a volta às aulas presenciais em todo o estado passa a ser permitida durante qualquer fase do Plano São Paulo, inclusive as mais rígidas. A medida começou a valer a partir de sua publicação, mas a volta das aulas deve acontecer apenas depois do dia 11 de abril.

Em pronunciamento, Dória anuncia vacinação para profissionais da educação e de segurança

Fachada do Ministério da Educação Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil[/caption]

Os números de casos e mortes estão crescendo cada dia mais no país. Só neste sábado, o estado de São Paulo, registrou mais de mil mortes em 24 horas pela terceira vez na semana. Por cause dessa piora, a fase emergencial no estado, que estava prevista para acabar no dia 30 de março, foi estendida para dia 11 de abril.

Em dezembro de 2020, foi decidido pelo governo de SP que escolas poderiam funcionar durante a fase vermelha, mas com apenas 35% da capacidade. Com isso, um grande embate judicial entre sindicados de profissionais da educação e o governo estadual começou a estourar.

Por fim, as liminares que proibiam a convocação de professores e a volta às aulas presenciais foram derrubadas. Ou seja, assim quando a fase emergencial no estado acabar, o retorno à sala de aula será permitido.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Pazuello vai anunciar vacinação de professores e policiais para abril

Cresce apoio à educação domiciliar no Brasil, diz pesquisa

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você