Segundo ranking com 100 países, Brasil deve ter a 14ª maior taxa de desemprego do mundo em 2021

Em 2020, o país ficou na 22ª colocação

Por: Marina Correa de Genaro | 11 abril - 13:41

De acordo com levantamento da Agência de Classificação de Risco, Austin Rating, a partir das novas projeções do Fundo Monetário Internacional para a economia global, o Brasil deverá registrar em 2021 a 14ª maior taxa de desemprego do mundo.

No ano de 2020, o país ficou na 22ª colocação em ranking mundial dos países com os piores patamares de desocupação.

Desemprego

Foto: Jeso Carneiro

O ranking com dados desde 2016, compara os índices oficiais dos países e as projeções do FMI para 2021 para um conjunto de 100 economias. Em 2019, o Brasil ficou na 15ª posição e em 2016 na 27ª.

Segundo o levantamento, a taxa de desemprego no Brasil deve subir para 14,5% este ano, ultrapassando países como Peru, Sérvia e Colômbia.

Para as projeções do FMI, a África do Sul seguirá com a pior taxa mundial, seguida pelo Sudão e pela Cisjordânia e Faixa de Gaza. O país com o menor desemprego deverá ser a Tailândia.

Brasil

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa média de desemprego no país em 2020 foi de 13,5%, a maior da série iniciada em 2012. Com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), o desemprego ficou em 14,2% no trimestre encerrado em janeiro, registrando número recorde de 14,3 milhões de brasileiros desempregados.

Entre os principais fatores que explicam a piora do desemprego em 2021 estão o agravamento da pandemia da Covid-19 e o aumento das preocupações em torno da saúde das contas públicas e do Orçamento 2021.

LEIA MAIS

Em entrevista à CNN, Bolsonaro faz críticas ao indicador de desemprego do IBGE

São Paulo fará blitz educativa com foco na prevenção do novo coronavírus

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você