Páscoa em SP tem diferença de 94% em preços de chocolate

O levantamento foi realizado pela Escola Paulista de Defesa do Consumidor, por meio do seu Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP

Por: Caroline Ripani | 02 abril - 12:08

Na Páscoa deste ano, comemorada nesta sexta-feira (2), o Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor), encontrou diferenças de até 94% nos preços de ovos, tabletes e caixas de bombons das mesmas marcas em São Paulo.

O levantamento foi realizado em nove sites, nos dias 24, 25 e 26 de fevereiro pela Escola Paulista de Defesa do Consumidor, por meio do seu Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP. Ao todo foram pesquisados 96 itens.

Pessoa pegando um ovo de páscoa

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A maior diferença registrada foi de 94% no valor de um tablete de chocolate. Enquanto em um estabelecimento o produto era vendido à R$ 9,69, em outro custava R$ 4,99 – diferença de R$ 4,70.

Nos ovos de Páscoa, a maior diferença encontrada foi de 50,48%. O preço de um ovo de 225g em um local era R$ 89,99, já em outro, o mesmo ovo era vendido por R$ 59,80 – diferença de R$ 30,19.

A disparidade de preço das caixas de bombons chegou à 81,51%. Uma caixa com doze unidades de chocolate que custava R$ 47,50 em um estabelecimento, foi encontrada sendo vendida à R$ 26,17 em outro – diferença de R$ 21,33.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, houve acréscimo de 7,38% no preço médio de uma caixa de bombons, e de 8,95% no valor de tabletes de chocolate. Já nos ovos de Páscoa, foi constatado um decréscimo de 2,05%.

Orientações para a compra de chocolates na Páscoa

De acordo com o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez, o consumidor que busca comprar ovos na Páscoa deve comparar os preços em diferentes estabelecimentos.

Capez alerta que “como estamos no momento de pandemia, o levantamento deve ser feito em lojas virtuais, considerando a relação qualidade, peso e preço do item a ser adquirido. Nas lojas virtuais, é fundamental também levar em conta o preço do frete”.

Além de produtos licenciados com personagens terem o preço mais elevado, devido ao repasse do custo do licenciamento, é importante se atentar aos ovos de Páscoa que contenham brinquedos. Nestes casos, os produtos deve apresentar a frase “Atenção: contém brinquedo certificado no âmbito do Sistema Brasileiro da Avaliação da Conformidade”, em sua embalagem. Ainda é obrigatório, além da indicação de faixa etária, o brinquedo conter o selo do Inmetro, identificação do fabricante, instruções de montagem e riscos que possam apresentar à criança

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Preço de cesta de Páscoa sobe quase 30%

Fiocruz lança cartilha de prevenção ao Covid-19 na Páscoa

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: