Impacto da nova rodada do auxílio no comércio deve ser oito vezes menor

Na nova rodada do auxílio, R$ 12,75 bilhões devem ser gastos no comércio varejista

Por: Bianca Antunes | 08 abril - 16:57

Segundo previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o impacto da nova rodada do auxílio emergencial, que começou a ser pago nesta semana, deve ser oito vezes menor do que a rodada anterior, paga no ano passado.

Em 2020, o comércio teve um injeção de R$ 103,8 bilhões por conta dos recursos do auxílio, o que equivale a 35,4% do que foi pago à população. O valor foi importante para a retomada econômica do comércio, segundo a CNC.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agora, na nova rodada do auxílio, R$ 12,75 bilhões devem ser gastos no comércio varejista. O presidente da CNC, José Roberto Tadros, afirmou que, apesar da redução, o benefício ainda é um estímulo à economia.

“É preciso observar que, a partir de setembro, quando o auxílio foi reduzido à metade, o varejo conseguiu manter as vendas aquecidas. Isso porque há fatores que também impactam a capacidade de consumo da população, como o nível de isolamento social, as condições de crédito e a inflação”, afirmou o presidente.

O texto da CNC ainda diz que, pelo valor menor do que ano passado, o novo auxílio emergencial dá baixa margem para perspectivas de consumo. “As famílias vão precisar escolher o gasto. Por isso, para além do consumo básico, como alimentação, a preferência vai ser o abatimento de uma dívida. Ou até guardar esse dinheiro para uma situação de necessidade”, diz.

LEIA MAIS:

Queiroga diz que não há possibilidade de paralisar a vacinação no Brasil

Projeto pede que responsáveis por pessoas portadoras de deficiência sejam vacinadas no Rio

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você