Guedes diz que arrecadação de março “superou as expectativas” e defende a vacinação: “melhor política fiscal [para as contas públicas]”

Porém, Guedes e especialistas alertaram que efeitos das restrições de março durante a pandemia de covid-19 pode impactar a atividade a partir do segundo trimestre.

Por: Larissa Placca | 20 abril - 21:43

Em pronunciamento nesta terça-feira (20), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a arrecadação de março superou as melhores expectativas da equipe econômica e confirmou o ritmo de recuperação da economia no primeiro trimestre.

A Receita Federal registrou uma arrecadação de R$ 138 bilhões em março. O resultado é um recorde para o mês, considerando números atualizados pela inflação.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, em pronunciamento

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, em pronunciamento; Foto: Agência Brasil/Divulgação

Porém, Guedes e especialistas alertaram que efeitos das restrições de março durante a pandemia de covid-19 pode impactar a atividade a partir do segundo trimestre.

“Tivemos os melhores desempenhos arrecadatórios já registrados na série histórica, com aumentos reais expressivos”, afirmou o ministro.

O número representa um crescimento de 18,5% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

“A arrecadação é uma proxy [aproximação] para o nível de atividade econômica da atividade. E índices de emprego formal mostram que o Brasil se levantou. Foi derrubado pela pandemia, mas se recuperou em ‘V’ e se recuperou novamente”, declarou o ministro.

Guedes defendeu a aceleração da Campanha de vacinação para assegurar o retorno seguro ao trabalho. “A melhor política fiscal [para as contas públicas] é vacina, vacina e vacina. Porque temos de garantir o retorno seguro ao trabalho da população brasileira. É possível que haja um impacto da segunda onda”, afirmou.

O ministro ainda disse que “novas camadas de proteção” à população estão sendo adotadas, se referindo à auxílios, além da nova rodada do auxílio emergencial.

Dentro do Orçamento, o congresso aprovou nesta segunda-feira (19) o PLN2/2021, que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e permite a retomada de programas de créditos extraordinários contra a pandemia.

Estão entre eles, o programa de manutenção do emprego e renda (BEm), que permite a redução de salário e jornada dos trabalhadores, e o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) que propõe a concessão de crédito para micro e pequena empresa.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Derek Chauvin, ex-policial acusado de matar George Floyd, é declarado culpado

Deputado Ricardo Barros crítica profissionais da educação ao afirmar que “Só professor não quer trabalhar na pandemia”

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você