Guedes diz que, após a aprovação do Orçamento, governo vai antecipar benefícios de aposentados

A medida faz parte do protocolo anti-covid, que inclui o adiantamento de pagamento de impostos e auxilio emergencial

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 25 março - 13:01

Nesta quinta-feira (25) o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que, assim que o Orçamento for aprovado pelo Congresso, o governo deve “disparar imediatamente” a antecipação de benefícios de pensionistas e aposentados. 

Guedes falou à comissão temporária do Senado que acompanha as medidas de enfrentamento à pandemia. “Se os senhores aprovarem hoje [quinta-feira, 25] o Orçamento, podemos disparar imediatamente a antecipação dos benefícios de aposentados e pensionistas. Mais de R$ 50 milhões vem de dezembro para agora. Vamos proteger os mais vulneráveis, e os idosos, nessa segunda grande guerra contra o coronavírus.” 

Ministro Paulo Guedes

Foto: Reprodução/Agência Brasil

O ministro disse ainda que o adiantamento não causará nenhum impacto fiscal, porque se trata de uma antecipação de um pagamento já previsto. 

No dia 5 de março, Guedes já havia anunciado que aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) terão o 13º salário antecipado.

Auxílio emergencial 

No início do mês, o governo definiu um novo valor de quatro parcelas do auxílio emergencial que varia entre R$ 175 e R$ 375, dependendo da quantidade de pessoas nas famílias beneficiadas. Ainda, segundo Guedes, o valor médio será de R$ 250.

A oposição quer um valor maior, o ministro admitiu que é preciso fortalecer os mais pobres, mas ressaltou que, antes, deve ser encontrada uma maneira de compensar a despesa

LEIA MAIS

‘Deveríamos estar comprando vacina desde a época do Mandetta’, diz Guedes; ex-ministro rebate

Guedes e Lira discutem tramitação da Reforma Administrativa

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: