Com a pandemia, 12 mil bares e restaurantes fecham em São Paulo; no Rio, 3 mil decretaram falência

Dados são fornecidos pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel)

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 26 abril - 14:02

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de São Paulo (Abrasel-SP), a cidade registrou o fechamento de 12 mil estabelecimentos decorrente da pandemia de covid-19. No estado, foram contabilizados 50 mil restaurantes e bares que fecharam as portas definitivamente. 

De acordo com a Abrasel, 85% dos bares e restaurantes tiveram prejuízos em março com o fechamento de diversos locais e época onde haviam regras mais rígidas sobre o distanciamento social – em janeiro, o número era de 52%. 

Rio de Janeiro com novas medidas

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

LEIA TAMBÉM

Ceará: Trabalhadores de bares, eventos e cultura receberão auxílio de R$500

O faturamento também registrou queda. O total de estabelecimentos que faturaram acima de R$ 140 mil caiu no mês passado em comparação ao mesmo período de 2020, indo de 26% para 11%, enquanto a faixa que faturam até R$ 35 mil por mês aumentou de 38% para 58% no mesmo período. 

Segundo a Associação, isso mostra que “a queda do faturamento foi brutal, sustentado apenas pelo delivery na maior parte do país”.

Em uma pesquisa realizada pela Abrasel no Estado de SP, 91% dos empresários dizem ter problemas para pagar o salário dos funcionários integralmente e 73% tiveram de realizar demissões. Além disso, 76% das empresas ouvidas estão com algum tipo de dívida. 

3 mil estabelecimentos fechados no Rio de Janeiro

A Abrasel aponta que na cidade do Rio de Janeiro, 3 mil estabelecimentos precisaram fechar desde o início da pandemia no ano passado. Segundo Pedro Hermeto, presidente da Abrasel-RJ, mais falências ainda podem acontecer. 

“Há mais de um ano, vivemos a maior crise enfrentada pelo setor de alimentação fora do lar. Caso não sejam adotadas iniciativas que auxiliem o setor, continuaremos sofrendo com falências e vendo o Rio perder não apenas postos de trabalho, mas lugares amplamente identificados com a cultura da cidade”, disse Hermeto. 

Flexibilização em São Paulo

Após as novas flexibilizações da quarentena em São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) ampliou a permissão para bares e restaurantes colocarem mesas e cadeiras em vagas de estacionamento, que funcionarão como “extensões temporárias das calçadas.”

O novo decreto ainda proíbe que clientes fiquem em pé, “em qualquer hipótese”, mas não define quais serão os trechos e ruas onde ele irá vigorar. De acordo com o texto, essa decisão será tomada pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento.

As novas regras do Plano São Paulo dizem que restaurantes podem funcionar das 11h às 19h e bares só podem abrir na função de restaurantes, servindo comida e com clientes sentados. A ocupação máxima dos estabelecimentos é de 25%.

LEIA TAMBÉM

Comércio, bares e academias poderão reabrir em BH a partir da próxima quinta-feira (22)

Ministério da Economia pediu para adiar a discussão no Senado de lei que cria auxílio de 2 mil a bares e restaurantes

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você