Bolsonaro busca uma apoio do mercado e terá um jantar com grandes empresários na quarta (7), em SP

O posicionamento recente do presidente, com relação ao enfrentamento da pandemia, estava fazendo com que Bolsonaro perdesse apoio do empresariado

Por: Larissa Placca | 05 abril - 22:10

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) busca uma reaproximação com o empresariado. Ele terá um jantar com grandes empresários na quarta-feira (7), em São Paulo.

O último encontro de Bolsonaro com grupo de empresariado foi em dezembro do ano passado, em um jantar na casa de Skaf. Em 2021, o presidente da Fiesp teve apenas reuniões individuais com o presidente.

O presidente Jair Bolsonaro realizou uma videoconferência com empresários em Março de 2020

O presidente Jair Bolsonaro realizou uma videoconferência com empresários em Março de 2020; Foto: Agência Brasil/Divulgação

O encontro tem previsão de acontecer na casa de Washington Cinel, dono da empresa de segurança Gocil, mesmo local onde empresários se encontraram com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para discutir saídas para a crise da Covid-19, no dia 22 de março.

O mercado se posicionou insatisfeito em uma carta aberta assinada por mais de 500 economistas, banqueiros e empresários do país pedindo ao presidente medidas mais eficazes para o combate à pandemia do novo coronavírus. Carta foi enviada no final do mês de março.

O posicionamento recente do presidente, com relação ao enfrentamento da pandemia, estava fazendo com que Bolsonaro perdesse apoio do empresariado. Seria por esse motivo que o presidente tenha se posicionado fortemente a favor da imunização.

Paulo Guedes, ministro da Economia, tem defendido a vacinação em massa para a retomada da economia no país. Defendendo, também, que empresas possam, por lei, a comprar vacinas para vacinar seus Colaboradores.

O pedido segue Congresso, devido a projeto flexibilizar as regras de compra e uso de vacinas pela iniciativa privada, permitindo que isso seja feito de maneira imediata.

A proposta inicial previa a compra pela iniciativa privada, apenas após a imunização de grupos prioritários pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Câmara aprova PL de incentivos fiscais para quem auxiliar na contratação de leitos da rede privada para o SUS

O texto deve ser votado nesta semana, retira exigências de compromisso com o Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Entretanto, a deputada Celina Leão (PP-DF), nesta quarta (31), propôs um substitutivo ao projeto de lei que prevê a compra de vacinas por empresas privadas. No início do mês, Congresso aprova Projeto de Lei de compra privada de vacinas.

Em sua proposta, ela retirou do texto o trecho que previa o abatimento integral, no imposto de renda, da quantia que os empresários gastarão na aquisição de imunizantes. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, apoiará o substitutivo.

A votação do projeto de Celina foi adiada. Assim, o plenário decidirá qual texto que prevalecerá sobre a compra privada de vacinas.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Doria se muda para Palácio dos Bandeirantes após sofrer ameaças

Secretária de Educação Básica do MEC pede demissão

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você