Arroz e feijão sobem 60% em um ano e prato feito fica 23% mais caro, diz FGV

Alta ultrapassa a inflação geral, que até março foi de 6,1%

Por: Sophia Bernardes | 28 abril - 10:30

O prato da família tradicional brasileira – arroz, feijão, carne, ovo, batata frita e salada – está cada vez mais caro para população, em média, 23% de aumento comparado com o ano anterior.

Este levantamento foi realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) que determinou qual foi o aumento dos alimentos que integram o prato tradicional – “prato feito” do brasileiro no ano. O cálculo considera as alterações que ocorreram até março deste ano registrado pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) calculado pela FGV.

Foto: Agência Brasil

Os principais ingredientes que compõem o prato tradicional, foram os que mais afetados pelo aumento,  o arroz, que subiu 61%, e o feijão, que subiu 69%, no caso do feijão preto. O feijão carioca, por sua vez, subiu 20%.

As carnes também participaram deste acréscimo, o preço das carnes bovinas subiu 27,2% e o frango com 13,9%. O ovo está 10% mais caro que há um ano. A batata subiu 19% e a cebola, 40%. O único alívio vem tomate, que está em queda de 24%.

Diversos alimentos sofreram com a alta dos preços nos supermercados, a consequência é que o custo de colocar alimento na mesa subiu até mais que a inflação total, em 12 meses o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve alta de 6,1%.

Uma justificativa considerada para este cenário, é o aumento da exportação desses alimentos, o dólar alto estimula as vendas para fora e deixa os produtos ainda mais caros em reais.

O pesquisador da Fundação Getúlio Vargas, Matheus Peçanha conta que, “Esse movimento do câmbio induz um aumento nas exportações, sobretudo dos cereais e das carnes, favorecendo a redução da oferta interna e pressionando os preços”. Ele avalia que a escalada de preços foi acentuada nos últimos anos com a desvalorização do real frente ao dólar.

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você