98% da periferia vai utilizar o auxílio emergencial para comer

Mais da metade da população brasileira não tem acesso permanente a alimentos

Por: Bianca Antunes | 08 abril - 15:08

A nova rodada do auxílio emergencial, que começou a ser distribuída nesta semana, será usada por 98% dos moradores de comunidades no Brasil para comprar comida. O dado é da pesquisa realizada pelo instituto Locomotiva em parceria com o Data Favela e a Cufa (Central Única das Favelas).

O instituto entrevistou 742 moradores da periferia em todas as regiões do país entre os dias 9 e 12 de março. A margem de erro da pesquisa é de 3,6 pontos.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A pesquisa também mostrou que nove em cada dez moradores de comunidades tem dificuldade para comprar itens básicos de alimentação. “Sem auxílio, a escolha da favela é entre o vírus e a fome, o que é cruel”, disse o fundador do Data Favela, Renato Meirelles.

A pobreza no Brasil

Mesmo com a volta do auxílio emergencial, o valor não deve ser suficiente para conter a pobreza no país. De acordo com o estudo da FGV Social, o número de brasileiros com renda inferior a R$ 246 saltou para quase 27 milhões, anteriormente 9,5 milhões.

Além disso, segundo levantamento da Rede PENSSAN (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar), mais da metade da população brasileira não tem acesso permanente a alimentos.

“Ainda que insuficiente, o auxílio traz um alívio momentâneo. Mas, mesmo com ele, a situação nas favelas permanece dramática”, completou Renato Meirelles.

LEIA MAIS:

Papa Francisco pede para FMI reduzir as dívidas dos países pobres

Poupança tem saldo negativo pelo terceiro mês consecutivo

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você