43% dos beneficiários ainda terão renda menor que antes da pandemia com o auxílio emergencial

Os homens tem 2% de diferença na renda, enquanto as mulheres tem 4%

Por: Bianca Antunes | 08 abril - 17:19

Mesmo com a nova rodada do auxílio emergencial, 43% dos beneficiários vão ter renda menor do que os rendimentos obtidos antes da pandemia do coronavírus, aponta pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O estudo que analisou a renda das pessoas antes e depois da pandemia concluiu que a diminuição de rendimentos é maior entre as mulheres. Os homens tem 2% de diferença na renda, enquanto as mulheres tem 4%.

Imagem de celular com aplicativo do auxílio emergencial

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Assim, os que fazem parte do grupo de 20 milhões de beneficiários que vão receber R$ 150 de auxílio não vão conseguir suprir a renda anterior. Entretanto, sem o benefício, a diferença seria maior, com 20% na renda dos homens e 20% na das mulheres.

Auxílio emergencial na periferia

A nova rodada do auxílio emergencial, que começou a ser distribuída nesta semana, será usada por 98% dos moradores de comunidades no Brasil para comprar comida. O dado é da pesquisa realizada pelo instituto Locomotiva em parceria com o Data Favela e a Cufa (Central Única das Favelas). Leia mais. 

LEIA TAMBÉM:

Prefeitura de SP usa índice próprio para divulgar alta no isolamento na capital

Trabalhadores autônomos foram os mais afetados pela pandemia em 2020, aponta pesquisa

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você