Supermercadistas lançam campanha nacional para doação de alimentos

A iniciativa é da Associação Brasileira de Supermercados e suas 27 afiliadas; campanha vai distribuir aos mais vulneráveis cartões de R$ 100 para compras em mercados de todo país

Por: Marina Correa de Genaro | 19 abril - 15:28

O setor supermercadista irá lançar uma campanha de arrecadação para distribuir aos mais vulneráveis cartões de R$ 100 para compras em mercados de todo o país com o objetivo de combater a fome que atinge milhões de brasileiros.

Empresas e pessoas físicas poderão doar para acolher os mais atingidos pela pandemia. O lançamento da campanha será nesta quarta-feira (21).

Supermercado Jundiaí

Foto: Prefeitura de Jundiaí

As doações serão feitas através de um site, Doação Super Essencial e terão valor mínimo de R$ 10. A distribuição será realizada de acordo com critérios dos programas sociais adotados por estados e municípios ou pela ONG Ação Cidadania, de combate à fome.

Para valores acima de R$ 5.000, o doador poderá escolher imprimir a marca nos cartões ou direcionar a alguma comunidade específica, sempre de acordo com o mapeamento dos mais vulneráveis feito pelas prefeituras ou governos estaduais.

Os valores que não forem colocados nos cartões serão transformados em cestas básicas, distribuídas pela Ação Cidadania.

A iniciativa é da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) e suas 27 filiadas, com ação inicial da entidade paulista, APAS. A campanha também conta com o apoio de agências da ONU de combate à fome, representantes da indústria de alimentos, Associação Brasileira de Indústria de Alimentos e da Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador.

“A campanha foi pensada para que toda sociedade possa participar. Desde nós, os supermercadistas, mas também a indústria, os cidadãos. Eles farão isso na forma que se sintam mais confortáveis, ou pelo valor, ou pela valorização da marca, pela garantia de que o alimento vai chegar, e mesmo pelo conforto do anonimato aliado à segurança da campanha”, disse João Galassi, presidente da ABRAS, em entrevista à CNN.

Para as pessoas ou empresas que não quiserem se responsabilizar pela distribuição dos cartões ou dos alimentos, eles poderão ser entregues pela APAS e ABRAS, seguindo os critérios dos programas sociais do setor público municipal ou estadual.

“A união de tantas associações reforça ações de apoio e engajamento no combate aos efeitos da pandemia. Assim fazemos de forma estruturada para alcançar mais pessoas. Temos esperança de que muitas empresas vão se engajar”, completa Galassi.

O cartão de R$ 100 não será recarregável, mas poderá ser usado diversas vezes em supermercados diferentes, até esgotar todo valor.

LEIA MAIS

Fiocruz deve liberar mais 4,7 milhões de doses da vacina contra a covid-19 na próxima semana

SP retomará concessões somente após controle da pandemia, diz Meirelles

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você