Sobre as mudanças nos ministérios, Bolsonaro afirmou que só ele e Braga Netto sabem “o motivo disso tudo.”

O presidente negou que tenha a intenção de politizar as Forças Armadas e justificou que as trocas foram devido o critério de antiguidade

Por: Larissa Placca | 01 abril - 22:55

Em live semanal, nesta quinta-feira (1), o presidente Jair Bolsonaro negou que tenha a intenção de politizar as Forças Armadas e justificou que a troca nos comandos de Exército, Marinha e Aeronáutica foi devido ao critério de antiguidade.

“O que é natural na Defesa… quem comanda, o comandante geralmente é o mais antigo”, disse Bolsonaro, fazendo referência ao novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, que demitiu os comandantes das três Forças e definiu novos comandantes, após tomar posse esta semana.

O presidente Jair Bolsonaro acena em sessão

O presidente Jair Bolsonaro acena em sessão; Foto: Agência Brasil/Divulgação

“Em sendo o mais antigo, resolveu apresentar três nomes de futuros chefes de Força mais modernos do que ele, e toca a vida”, acrescentou.

Em uma das mudanças nos ministérios, Bolsonaro trocou Braga Netto da Casa Civil para a Defesa. Junto à essas pastas, a mudança envolveu seis pastas. O presidente afirmou na live que só ele e Braga Netto sabem “o motivo disso tudo.”.

Haviam comentários, no meio político, de que a troca na Defesa teria sido por motivos do presidente tentar ‘politizar’ as Forças Armadas. Logo após a troca, Braga Netto substituiu os comandantes das três Forças.

A escolha do general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira para o Comando do Exército se deve em razão de evitar agravar a crise com as Forças Armadas em nome do ‘critério de antiguidade na escolha’. Porém, o posicionamento do novo comandante é próximo ao do general Edson Pujol, que se desligou do cargo após desentendimentos com o Bolsonaro.

O presidente esperava dele uma atuação mais política no caso dos Governadores decretarem medidas restritivas frente à Pandemia, para o presidente, os militares deveriam se posicionar contra a restrição, ao lado do Governo. Pujol se posicionou dizendo que o Exército não era político.

Bolsonaro, entretanto, disse hoje (1) que todas as suas medidas respeitam a Constituição.

O que é o ‘critério de antiguidade na escolha’?

Esse critério de conhecimento geral e moral dentro das Forças Armadas, define que o presidente da república, ao se dispor da nomeação de algum militar, deve seguir o critério de idade/’tempo de casa’. O militar mais velho (formado antes), tem prioridade para assumir o cargo, por questão de respeito e experiência.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Deputado estadual que “proibiu o uso de máscaras” em seu gabinete é internado por 3 dias em UTI com covid-19

OMS diz que Brasil está em ‘situação crítica’ da pandemia

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você