Rio: Tiroteios em comunidades deixam pelo menos 9 mortos em 12 horas

Segundo Polícia Militar, seis eram suspeitos. Três postos de saúde fecharam as portas por conta dos conflitos e suspenderam a vacinação contra a Covid-19

Por: Marina Correa de Genaro | 27 abril - 14:16

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, entre a noite de segunda-feira (26) e a manhã desta terça (27), em menos de 12 horas troca de tiros entre PMs e traficantes, em diferentes pontos do Rio de Janeiro, deixaram pelo menos nove pessoas mortas.

A PM afirmou que seis eram suspeitos e que estava apurando a identidade dos outros três.

Rio de Janeiro

Foto: Reprodução

Três postos de saúde nas regiões fecharam as portas por conta dos conflitos e suspenderam a vacinação contra a Covid-19.

Os agentes da polícia apreenderam um fuzil, uma pistola, carregadores e drogas.

Até o momento foram:

  • Dois mortos no Morro dos Prazeres, no Rio Comprido;
  • Seis mortos no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho;
  • Um morto no Morro da Providência.

Em outras três comunidades também houve confronto, mas sem confirmação de vítimas.

  • Providência, na região central;
  • Mangueira, na Zona Norte;
  • Lins, na Zona Norte.

Prazeres

De acordo com a Polícia Militar, a troca de tiros começou após traficantes atacaram agentes da corporação. O chefe do tráfico do morro, conhecido como ‘Marcelinho dos Prazeres’, e outro traficante, identificado apenas como Gabriel GB, morreram.

Uma mulher que estava em uma van foi atingida por uma bala perdida de raspão no pescoço. Ela foi medicada e não corre risco de vida.

Outros três homens também foram baleados e levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. Ao menos um deles era traficante, mas não há informações sobre a identidade e o estado de saúde.

Juramento

No Juramento a troca de tiros entre policiais e traficantes deixou quatro suspeitos baleados.

Moradores contaram nas redes sociais que um dos mortos no tiroteio era um homem chamado Gemerson, que mora em Caxias e trabalhava numa empresa na Rua Arcádia.

De acordo com a PM, o tiroteio começou após uma equipe flagrar traficantes atravessando a passarela que liga o Juramento ao Juramentinho, na Avenida Pastor Martin Luther King Jr, em Tomás Coelho.

Por conta do tiroteio, a Clínica da Família Herbert de Souza, em Tomás Coelho, foi fechada e a vacinação contra a Covid-19 foi suspensa.

Providência

Equipes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Providência e da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) estavam em policiamento na comunidade quando foram atacados. Uma pessoa morreu.

A PM disse que um criminoso foragido da Justiça, conhecido como Fernandinho da PV, ficou ferido no confronto e foi levado para o Hospital Souza Aguiar.

A Clínica da Família Nelio de Oliveira, na Gamboa, e o Centro Municipal de Saúde do Santo Cristo também fecharam as portas e suspenderam a vacinação contra a Covid-19, por segurança.

Mangueira

Moradores afirmaram em redes sociais que acordaram ao som de tiros. Segundo relatos, os disparos começaram por volta das 5h.

A Polícia Militar afirmou que policiais da UPP foram atacados a tiros, perto da base da unidade, e reagiram.

Um PM ficou ferido e foi levado para o Hospital Souza Aguiar.

Complexo do Lins

A Polícia Militar disse que agentes faziam o patrulhamento no acesso de uma localidade conhecida como Gambá quando foram atacados por criminosos e revidaram. Não há registro de feridos, prisões ou apreensões.

LEIA MAIS

CPI da Covid elege Omar Aziz como presidente e Rodrigo Randolfe como vice

Rio de Janeiro tem 18 regiões da cidade com alto risco para Covid-19

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você