Governo reduz programa ‘Farmácia Popular’ que trata comorbidades da Covid-19

Com a pandemia, o programa para distribuir remédios gratuitos para população de baixa renda diminui

Por: Aline Bueno Silvestre | 01 abril - 22:08

O programa ‘Farmácia Popular’ foi reduzido pelo governo durante a pandemia. Ele era destinado a pessoas de baixa renda e fornecia remédios gratuitos ou com descontos.

A rede atendia as pessoas de grupos de risco do coronavírus, como asmáticos e aqueles que possuem hipertensão. Porém, a cobertura do programa foi a menor desde 2014.

Governo reduz programa 'Farmácia Popular'

Foto: Reprodução/Pixabay

Em 2020, primeiro ano da pandemia, 20,1 milhões de pessoas puderam usar o programa. Esse número é 1,2 milhão a menos que em 2019.

Os dados foram obtidos pela Folha de São Paulo através do Ministério da Saúde e pela Lei de Acesso à Informação.

O que é a ‘Farmácia Popular’?

O programa foi criado pelo Ministério da Saúde e é de iniciativa do Governo Federal, criado em abril de 2004. Ele permite o acesso da população a remédios que tratem doenças de grande recorrência.

Além de fornecer medicamentos para asma e hipertensão, também distribui remédios para diabetes, osteoporose, rinite, doença de Parkinson e anticoncepcionais.

Porém, os de asma, hipertensão e diabetes são gratuitos. Os outros, assim como fralda para idosos, possuem até 90% de desconto.

LEIA MAIS:

Preços dos remédios sofre reajuste de até 10,08% a partir de quinta-feira (01)

Entenda por que pacientes que usaram o “kit Covid” precisam de transplante de fígado

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você