Campanha de vacinação contra gripe começa em 12 de abril

Impedir que o sistema de saúde seja ainda mais sobrecarregado, está entre os objetivos da campanha de imunização da gripe

Por: Sophia Bernardes | 08 abril - 14:35

A partir da próxima segunda-feira (12) o Brasil dá início a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, em paralelo à vacinação contra a covid-19.

De acordo com o Ministério da Saúde, o processo de imunização contra a influenza deve se estender até 9 de julho. A prioridade neste primeiro mês será dada às crianças de seis meses a até seis anos de idade, gestantes, puérperas, indígenas e trabalhadores de saúde.

Foto: Agência Brasil

Os idosos acima de 60 anos e professores podem se vacinar a partir de 11 de maio. A última etapa da campanha, imunizará pessoas com comorbidades e deficiências permanentes, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário e portuário, membros das forças de segurança e do Exército e funcionários do sistema prisional. Os presidiários e jovens de 12 a 21 anos que cumprem medidas socioeducativas também serão imunizados nesta fase.

A expectativa é que 79,7 milhões de pessoas sejam vacinadas. Impedir que o sistema de saúde seja ainda mais sobrecarregado, está entre os objetivos da campanha de imunização da gripe. O vírus influenza também pode ser letal ao afetar o sistema respiratório, principalmente com a chegada do outono, quando há queda de temperatura e os casos tendem a aumentar.

Apesar disso, a orientação do governo é que as vacinas contra a gripe e a covid-19 não sejam aplicadas simultaneamente devido à ausência de estudos.

Intervalo entre as vacinas

O Ministério da Saúde alterou o calendário da imunização contra a gripe para impedir conflito com a campanha contra a Covid. Normalmente a vacinação começa pelos idosos, porém dessa vez estão sendo priorizados na imunização contra a covid-19 os profissionais de saúde, crianças, gestantes e indígenas.

No entanto, a expectativa é que a maioria dos idosos estejam imunizados contra a Covid até maio e fique liberada para a vacinação contra o influenza.

As pessoas que fazem parte do público-alvo das duas campanhas devem dar prioridade à vacina contra a Covid-19, de acordo com Ministério da Saúde. Após a aplicação, é importante que o paciente agende a vacina contra a gripe com um intervalo no mínimo de duas semanas. Isso porque os dois imunizantes são considerados essenciais para impedir complicações respiratórias e proteger toda a comunidade de riscos à saúde.

De acordo com especialistas, se uma pessoa tomar a primeira dose da Coronavac, por exemplo, ela deve aguardar de 14 a 28 dias para receber a segunda dose desta vacina. Após esse período, esperar mais 15 dias para ser vacinada contra a gripe.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Minas Gerais registra 1.000 óbitos pelo novo coronavírus em dois dias

Consórcio do Nordeste espera Anvisa para trazer 66 milhões de doses da Sputnik V

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você