Câmara convoca ministro da Controladoria para esclarecer gastos de R$ 2,4 milhões com férias de Bolsonaro

Rosário irá prestar depoimento na próxima terça-feira (20). O requerimento foi apresentado pelo deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) no início do mês de abril.

Por: Larissa Placca | 19 abril - 21:40

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara convocou o ministro da Controladoria Geral da União (CGU), Wagner Rosário, para que sejam esclarecidos os gastos de mais de R$ 2,4 milhões aos cofres públicos com as férias do presidente Jair Bolsonaro.

Rosário irá prestar depoimento na próxima terça-feira (20). O requerimento foi apresentado pelo deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) no início do mês de abril.

Bolsonaro em suas férias no litoral paulista: sem máscara e em aglomeração

Bolsonaro em suas férias no litoral paulista: sem máscara e em aglomeração; Foto: Reprodução

O deputado questiona as autoridades se a despesa estava prevista no orçamento, se são “justificáveis” em um período marcado pela pandemia e pela crise econômica e se estão à margem do histórico dos gastos de presidentes anteriores com férias.

Do dia 5 de dezembro de 2020 até o dia 5 de janeiro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tirou férias em Santa Catarina e no Guarujá, litoral de São Paulo. No período, Bolsonaro gastou R$2.452.586,11, segundo dados levantados pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO).

O deputado enviou à Secretaria-Geral da Presidência da República e ao Gabinete de Segurança Institucional requerimentos de informação e obteve os valores. Foram R$ 1.053.889,50 com locomoção e mais de R$ 1 milhão no cartão corporativo.

Estão inclusos no valor a locomoção terrestre, aquática e aérea, hospedagem e alimentação,  contratação de profissionais e serviços do presidente, da sua família, de convidados e da equipe de profissionais que os acompanhou. O gasto com diárias da equipe de segurança ficou em R$202.538,21.

No último dia 12, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou, com relação às suas férias, “qualquer saída… a despesa grande, mas eu vou assim mesmo. ‘[Dizem] Ah, gastou R$ 2 milhões nas férias’. Vai ter mais férias. Vai ser gasto, fique tranquilo”, disse Bolsonaro.

Na opinião de Kim Kataguiri, o gasto não é razoável e mostra “ostentação” da parte do presidente em meio ao cenário de crise sanitária e econômica vivida pelo país.

“Em ocasião de acentuada calamidade pública resultante da pandemia causada pelo Coronavírus, é ultrajante a toda população que a figura máxima do poder Executivo esteja dando passeios enquanto reduz o auxílio [emergencial] e deixa faltar comida na mesa de milhões de brasileiros afetados frontalmente pelo lamentável estado de descontrole da saúde pública e da economia em nosso país”, descreve Kataguiri.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Um povo que vota no Lula merece sofrer, diz Bolsonaro a apoiadores

Alexandre de Moraes nega pedido de Witzel para paralisar impeachment

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você