Bolsonaro recebeu reembolso de R$ 435.347,23 da Câmara por gastos com saúde após facada em Campanha Eleitoral de 2018

Consultas, internações e exames em hospitais de ponta, UTI aérea e até honorários para os médicos são alguns dos gastos com dinheiro público.

Por: Larissa Placca | 20 abril - 20:14

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido)​ recebeu um reembolso de R$ 435.347,23 da Câmara dos Deputados relativos a despesas com saúde.

O valor foi ressarcido ainda em seu primeiro ano como presidente da República, nove meses após a facada em Juiz de Fora, Minas Gerais, em durante campanha eleitoral de 2018.

Momento do atentado contra o presidente Bolsonaro durante Campanha Eleitoral em 2018;

Momento do atentado contra o presidente Bolsonaro durante Campanha Eleitoral em 2018; Foto: Agência Brasil/Reprodução

A Câmara, no entanto, se recusa a informar a data que se refere essa despesa, limitando-se a afirmar que é relativa ao período que Bolsonaro ainda era deputado federal.

Bolsonaro passou pela primeira cirurgia ainda em Juiz de Fora no dia 6 de setembro de 2018. No dia seguinte, foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e submetido a uma nova cirurgia de emergência. Ele ficou internado por 23 dias neste hospital.

Ainda em novembro daquele ano, o presidente realizou uma série de exames no hospital para uma nova cirurgia, que ocorreu no início de 2019.

No documento consta que Bolsonaro recebeu a quantia em junho. A tramitação do reembolso teve início em 25 de abril de 2019 e se encerrou em 13 de junho do mesmo ano.

Consultas, internações e exames em hospitais de ponta, UTI aérea e até honorários para os médicos são alguns dos gastos com dinheiro público.

A Câmara não dá mais detalhes dos gastos, afirmando que “se trata de informações pessoais relativas à intimidade, vida privada, honra e imagem, com inviabilidade jurídica de atendimento do pedido.”

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Derek Chauvin, ex-policial acusado de matar George Floyd, é declarado culpado

Deputado Ricardo Barros crítica profissionais da educação ao afirmar que “Só professor não quer trabalhar na pandemia”

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você