Vendas do chamado “Kit Covid” disparam mesmo depois de aviso de médicos

Pacientes que usaram os medicamentos do Kit foram enviados para a fila de transplante de fígado; outros três podem ter morrido

Por: Maria de Toledo Leite | 29 março - 00:22

A venda dos remédios presentes no “kit Covid”, que contém hidrocloroxina, ivermectina e azitromicina, comprovados cientificamente como ineficazes, disparou mesmo com todas as contraindicações. O uso desses medicamentos pode estar levando pacientes para filas de hospitais em busca de transplantes de fígado e pode até ter provocado três mortes até agora.

A hidrocloroxina é usada para o tratamento de doenças como malária, lúpus e artrite reumatóide, a ivermectina é um vermífugo comum para combater parasitas como lombrigas e a azitromactina é um antibiótico.

Ministro da Saúde diz que governo irá distribuir 11 milhões de vacinas na próxima semana

Bolsonaro olhando para sua esquerda e segurando caixa de cloroquina na mão direita, apontando-a para a câmera

Foto: Carolina Antunes/PR

Os pacientes que usaram os medicamentos e precisaram de transplante de fígado acabaram desenvolvendo uma intoxicação chamada hepatite medicamentosa. Ela pode ser causada pela ingestão de uma alta dose de medicamentos, que pode modificar a forma na qual o fígado funciona.

Entre seus sintomas estão cansaço, dor de cabeça, mal-estar, fadiga, febre, desmaio, confusão mental e vômito, que podem aparecer depois de 24h ou de até 1 mês da ingestão dos remédios.

Em relação ao ano passado, as vendas de ivermectina aumentaram mais de 700%. Só em fevereiro desse ano, as vendas da hidrocloroxina cresceram 173%.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Bolsonaro diz que se for reinfectado com covid-19 vai tomar cloroquina

Anvisa está receosa com o Cronograma de testes da ButanVac

USP desenvolve sete projetos de vacinas contra Covid-19

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você