Veja quais são as comorbidades prioritárias para a vacinação contra a covid-19

A pessoa precisa apresentar um documento que comprove sua inclusão no grupo

Por: Bianca Antunes | 22 abril - 17:46

Nesta segunda-feira (20) o governo do Estado de São Paulo anunciou em coletiva de imprensa, no Palácio dos Bandeirantes, que começará a vacinar também pessoas com comorbidades. Ao todo o público com comorbidades é formado por 120 mil pessoas.

Para receber o imunizante, a pessoa não precisará ter atestado médico, mas precisa apresentar um documento que comprove sua inclusão no grupo, como exames, prescrições e receitas médicas.

Queiroga afirma que vai retomar o cronograma de vacinação no Brasil

Foto: Reprodução/Pixabay

“No caso dos pacientes acompanhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), estarão pré-cadastrados no sistema do Programa Nacional de Imunização (PNI)”, diz o Ministério da Saúde.

Veja quais são as comorbidades de prioridade da vacinação:

  • Diabetes mellitus;
  • Pneumopatias crônicas graves (doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave);
  • Hipertensão Arterial;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar;
  • Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo);
  • Síndromes coronarianas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras);
  • Valvopatias (estenose ou insuficiência aórtica, estenose ou insuficiência mitral, estenose ou insuficiência pulmonar, estenose ou insuficiência tricúspide e outras);
  • Miocardiopatias e Pericardiopatias (pericardite crônica, cardiopatia reumática e outras);
  • Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;
  • Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos;
  • Arritmias cardíacas (fibrilação e flutter atriais e outras);
  • Cardiopatias congênita no adulto (crises hipoxêmicas, insuficiência cardíaca, arritmias, comprometimento miocárdico);
  • Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência);
  • Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico, ataque isquêmico transitório, demência vascular);
  • Doença renal crônica;
  • Obesidade mórbida;
  • Síndrome de Down;
  • Cirrose hepática.

LEIA TAMBÉM:

Mulheres ficam imunizadas por mais tempo depois de infectadas com a covid-19, diz estudo francês

Prefeitura de São Paulo vai procurar os que não tomaram segunda dose de vacina contra a covid-19

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você