Sputnik V ser usada em outros países não responde dúvidas da Anvisa, diz gerente do órgão

A declaração foi feita um dia após a agência reguladora negar os pedidos de importação do imunizante russo

Por: Caroline Ripani | 27 abril - 16:26

Em audiência na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (27), o gerente de medicamentos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Gustavo Mendes, afirmou que o fato da vacina russa Sputnik V ter seu uso aprovado em outros países, não reponde aos questionamentos da agência.

“O argumento de que [a Sputnik V] tem sido utilizada em outros países, na Argentina, na Rússia e em outros países que têm a vacina aprovada nas agências reguladoras não respondeu às nossas questões”, disse Mendes, que completou em seguida: “por mais que tivéssemos feito esforços para entrar em contato com essas agências reguladoras, colocar essas questões para eles, mas esses dados não foram apresentados para gente”.

Vacina Sputink V

Foto: Vladimir Gerdo/Agência Brasil

O gerente do órgão regulador ainda rebateu o argumento de que o imunizante russo deveria ter sido autorizado após dados sobre sua eficácia contra a covid-19 terem sido publicados na revista científica The Lancet.

“Em nenhum momento o objetivo de uma revista científica é aprovar ou não, recomendar ou não o uso de uma vacina em larga escala. O objetivo é avaliar e reportar dados científicos”, argumentou Mendes.

Na noite da última segunda-feira (26), a Anvisa resolveu negar pedidos de autorização sobre a importação da Sputnik V no Brasil, alegando falta de dados técnicos para garantir a segurança e a eficácia da vacina contra o novo coronavírus.

*Com informações da Reuters.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Para fundador da Anvisa, decisão de recusar a importação da Sputnik V deve ser respeitada

Rússia acusa Anvisa de decisão ‘política’ sobre Sputnik V

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você