Segundo secretário de Saúde, Prefeitura de SP deve reservar vacina para segunda dose

Decisão vai contra diretrizes do Ministério da Saúde, divulgadas no último domingo (21)

Por: Murilo Amaral Feijó | 24 março - 16:00

Durante sessão remota da Câmara dos Vereadores, nesta quarta-feira (24), o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou que reservaria vacinas contra a covid-19 para segunda dose, indo contra recomendações do Ministério da Saúde.

No último domingo (21), o Ministério da Saúde anunciou que todas as vacinas disponíveis devem ser aplicadas como primeira dose. De acordo com a Pasta, a recomendação foi adotada para a ampliação do número de vacinados no país.

Brasil recebe mais de um milhão de doses do consórcio da Covax Facility

Foto: Reprodução/Pixabay

Aos vereadores, o secretário de Saúde da capital paulista afirmou que não se sente seguro para adotar as recomendações do Ministério. “A gente quer ter a garantia de que quem recebeu a primeira dose vai receber a segunda dose”, defendeu Aparecido.

A decisão de Aparecido também vai contra as medidas do governo estadual, que decidiu seguir recomendações do Ministério da Saúde. Na última segunda-feira (22), o secretário estadual de Saúde, Jean Gorichteyn, disse: “Isso permite sempre ampliar o faseamento de uma das faixas etárias, mas nós já estamos bastante adiantados em relação a todo o país”.

Aparecido, durante a sessão, apontou a evolução da doença na capital e a ocupação dos leitos de UTI. Ele também comentou sobre a falta de oxigênio nos hospitais, afirmando que houve uma elevação na demanda pelo produto.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

RJ aprova lei que prevê multa de até R$ 37 mil para quem furar vila da vacina de covid-19

Em momento mais crítico da pandemia, São Paulo completa 1 ano em quarentena

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você