São Paulo: prefeitura espera receber 120 mil doses de vacina da Pfizer no dia 3 de maio

Gestão municipal diz que está elaborando um plano diferente de aplicação do imunizante

Por: Maria de Toledo Leite | 24 abril - 21:36

A Prefeitura de São Paulo se prepara para receber 120 mil doses de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer no dia 3 de maio. No entanto, a gestão municipal diz que está elaborando um plano diferente de aplicação do imunizante, provavelmente direcionando-o para regiões e grupos específicos de pessoas, o que não acontece atualmente com as vacinas disponíveis.

A estratégia levará em conta as condições de armazenamento da vacina da Pfizer, que exige temperaturas baixíssimas, em torno de 75° C negativos.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Um membro da secretaria municipal de Saúde afirmou que o plano é utilizar a Pfizer em um grupo de pessoas ou em regiões onde a programação para a segunda dose seja “muito bem ajustada”. A Prefeitura também pretende fazer reserva de segunda dose da Pfizer.

Brasil aplica 1,7 milhões de doses de vacina em 24h e bate recorde nesta sexta-feira (23)

Até sexta-feira (30), o Ministério da Saúde deve receber 1 milhão de doses da vacina da farmacêutica norte-americana, e pretende distribuí-las para os municipios que tenham condições de armazenamento adequadas para suportar a vacina. A quantidade a ser entregue para cada município ainda não foi detalhada.

A chegada das doses da Pfizer deve aliviar um pouco a Prefeitura de São Paulo em relação à escassez de vacinas contra a Covid-19. No momento, os insumos para a produção da vacina Coronavac estão em falta e o imunizante produzido pela Oxford/AstraZeneca é o mais usado para aplicação da primeira dose, no momento.

O Butantan retomou o envase da Coronavac na última terça-feira (20), depois de quase duas semanas em paralisação, devido o atraso na entrega do insumo usado para a produção.

Os próximos grupos que serão vacinados, idosos acima de 60 anos, pacientes de hemodiálise, metroviários etc, receberão a vacina da AstraZeneca. No entanto, esse imunizante exige um intervalo de três meses entre a primeira e segunda doses, para completar a imunização, enquanto as doses da Coronavac podem ser administrada com 21 a 28 dias de intervalo.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Primeiras doses da vacina contra covid-19 da Pfizer devem ser distribuídas na primeira quinzena de maio

Covid: Ministério da Saúde reduz em 31% número de doses de vacina previstas para maio

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você