São Paulo: Veja como vai funcionar a ‘fase de transição’ que começa neste domigo

Com a nova fase shoppings e lojas de rua vão operar a partir de hoje Restaurantes, academias, salões de beleza, atividades culturais e parques podem reabrir a partir do dia 24 de abril

Por: Sophia Bernardes | 18 abril - 06:22

A partir de hoje (18), todo o estado entrará em uma nova “fase de transição” do Plano São Paulo, com restrições contra a disseminação da Covid e a retomada econômica.

De acordo com o anúncio feito pelo governo na sexta-feira (18), o comércio e atividades religiosas passam a ser permitidas com limite de ocupação e horários específicos. A partir do próximo sábado (24), iniciará uma segunda etapa desta fase que irá liberar outros serviços.

Foto: Agência Brasil

Apesar da nova fase, os números de casos, mortes e internações por covid-19 no estado seguem altos. Confira o que está e o que não está permitido na primeira etapa da fase de transição, iniciada hoje.

O que fecha?

  • Bares e restaurantes (só funcionam delivery, drive-thru ou retirada), Salões de beleza e barbearias;
  • Cinemas;
  • Teatros e casas de show;
  • Universidades (só cursos de saúde funcionam);
  • Eventos;
  • Convenções e atividades culturais;
  • Atividades com aglomeração;
  • Academias de esporte e centros de ginástica;
  • Concessionárias;
  • Parques e zoológico;
  • Permanece valendo o toque de recolher das 20h às 5h;

O que abre?

  • Shoppings, galerias e comércio de rua (das 11h às 19h e com 25% de ocupação máxima);
  • Igrejas e templos religiosos (25% de ocupação máxima);
  • Farmácias e serviços de saúde;
  • Mercados, supermercados e locais que vendam comida, mas sem consumo local;
  • Escolas (retomada gradual com até 35% de ocupação) e cursos da área de saúde em universidades;
  • Construção civil e indústria;
  • Lavanderias;
  • Serviços de segurança pública e privada;
  •  Empresas de locação de veículos;

O que é a “fase de transição”?

No ano passado, o Plano São Paulo foi lançado com o objetivo de acompanhar indicadores como ocupação dos leitos e números de casos, para avaliar se era possível retomar atividades econômicas e a circulação de pessoas.

Assim sugiram 5 fases que iam da vermelha – a mais restritiva, em que apenas os serviços essenciais devem funcionar-  até a azul – de maior controle da pandemia.

A equipe do Dória criou a “fase emergencial”, com mais restrições mais rígidas do que a vermelha. Uma delas era uma espécie de toque de recolher, para conter aglomerações das 20h às 5h. Agora, é a vez da “fase de transição” entre as cores vermelha e laranja, ainda que os indicadores epidemiológicos permaneçam altos.

A ideia de criar essa fase intermediária, com retrições maiores que a fase laranja, é para que a gente acompanhe os números e daqui a 15 dias a gente tenha uma segurança maior de estabelecer as métricas do Plano São Paulo”, disse o vice-governador Rodrigo Garcia. Doria não participou do anúncio hoje.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Mais de 26 milhões de pessoas receberam ao menos uma dose da vacina no Brasil

Morte de grávidas e mães de recém-nascidos por Covid-19 dobra, segundo levantamento

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você