Queiroga diz que Ministério da Saúde vai receber nesta quinta (15) insumos para o ‘kit intubação’

Brasil vem sofrendo com a falta de medicamentos para pacientes em estado grave de covid-19

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 15 abril - 14:54

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o país vai receber hoje (15) uma nova remessa das medicações do ‘kit intubação’, que serão doadas pela Vale. O Brasil vem sofrendo uma grave crise de desabastecimento de fármacos, como sedativos e relaxantes musculares, para realizar o processo de intubação de pacientes em estado grave. 

“Hoje vão chegar os kits, doados pela Vale. Vamos explicar para vocês [imprensa] como vamos fazer essa logística”, disse o ministro aos repórteres.

Queiroga disse também que pretende mostrar o que o Ministério da Saúde tem feito para “garantir o abastecimento de municípios” em relação aos kits que atendem pacientes contaminados com o coronavírus. 

A declaração foi dada, quando o ministro seguiu para uma reunião para tratar sobre a abertura de novas vagas para treinamento de médicos intensivistas. O encontro não estava marcado na agenda oficial de Queiroga. 

“Agora vou tratar sobre a residência médica de residência intensiva, multiprofissional para formarmos profissionais qualificados para enfrentarmos desafios na saúde pública brasileira”, disse o ministro. Segundo ele, serão ofertadas 600 vagas para treinamento de médicos intensivistas, enfermeiros e fisioterapeutas para criar recursos “mais qualificados” para atender o SUS. O ministro não deu mais detalhes sobre quando as vagas serão abertas. 

São Paulo sem ‘kit intubação’

De acordo com o Secretário Estadual da Saúde, Jean Gorintcheyn, o estado está há semanas equilibrando ações para que os medicamentos não faltem nos hospitais.

De acordo com Jean, o estoque atual “conforta por mais alguns dias” os hospitais estaduais. No entanto, ele afirma que é preciso fornecer os medicamentos também aos municípios para não deixar as unidades municipais desassistidas.

Nesta terça-feira (13), João Dória (PSDB), governador de São Paulo, cobrou o Ministério da Saúde sobre a falta dos fármacos e sobre a falta de agilidade no processo de entrega para os governos.

Pacientes intubados acordam por falta de sedativo

No Hospital Albert Schweitzer, no Rio de Janeiro, há 78 pacientes internados com Covid e outros 40 na emergência. Uma enfermeira da unidade chegou a contar que pacientes com a forma mais grave da doença estão intubados, acordados e amarrados aos leitos devido à ausência de sedativos.

“Na sala vermelha, os pacientes estão intubados e amarrados, estão vivenciando tudo acordado e sem sedativo”, disse a enfermeira sobre a situação preocupante do hospital. A profissional ainda falou que os pacientes ficam “pedindo para não morrer.”

A cardiologista Ludhmila Hajjar fez uma alerta hoje (15), em entrevista à GloboNews, e afirmou que o processo de extubação sem analgésicos é doloroso e que gera impactos de curto e longo prazo aos pacientes contaminados.

LEIA MAIS

Mais 1 milhão de doses da CoronaVac são enviadas à Saúde pelo Instituto Butantan

Procurador da República diz que governo não agiu por má-fé ao cancelar a compra do kit intubação

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você