Protocolo sobre tratamento de Covid-19 organizado pela USP é enviado ao Ministério da Saúde

Documentos contém indicações sobre como utilizar oxigênio e sedativos de intubação em períodos de escassez

Por: Leonardo Fernandes | 25 abril - 07:24

O Ministério da Saúde recebeu ao longo da última semana os primeiro protocolos acerca do tratamento contra covid-19, feito por equipe comandada pelo médico Carlos Roberto de Carvalho, professor da USP. Os protocolos entregues ao ministro Marcelo Queiroga abordam o uso de oxigênio e a utilização de drogas sedativas, relaxantes musculares e anestésicos; itens que fazem parte do problema atual de tratamento ao novo coronavírus no Brasil, principalmente com a escassez destes equipamentos.

A intenção dos protocolos, que serão seis ao todo, é a de oferecer diretrizes para o tratamento da covid no país, e consequentemente ajudar nas chances de cura ao tratar pacientes da doença.

Leia mais: Ministério da Saúde lançará protocolo de remédio contra a Covid e cogita a Cloroquina

Ministro da Saúde Marcelo Queiroga

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O protocolo de oxigênio aborda a escassez do equipamento no Brasil, e como é possível fazer o uso racional do artigo, além de ajudar na solução de problemas que envolvam vazamentos ou aparelhos desregulados. Ele também define parâmetros para que seja feita a oxigenação dos pacientes de maneira segura, mas também sem excesso.

No caso do protocolo de intubação, o documento define as drogas específicas a serem usadas no procedimento, com orientações para que o paciente seja intubado de forma mais rápida quando necessário. São indicados quais medicamentos seriam mais eficazes, e os possíveis substitutos para o caso de falta dos principais.

Os protocolos estão sendo desenvolvidos com a colaboração de sociedades médicas de todo Brasil, também adicionando indicações já dadas por elas. Cabe ao ministro Marcelo Queiroga decidir quando os protocolos serão implantados.

*Com informações da Folha de S. Paulo

Leia mais notícias:

Queiroga afirma que vai retomar divulgação do cronograma de entrega das vacinas

A 6 dias do fim, abril se torna o mês mais letal da pandemia no Brasil, com 67.723 mortes em 24 dias

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você