Pfizer confirma que vacinas usadas no México e Polônia eram falsas

No México, substância foi encontrada em geladeiras de cerveja e no país europeu, líquido nos frascos era uma substância cosmética

Por: Marina Correa de Genaro | 22 abril - 14:30

Foi confirmado na quarta-feira (21) pelo laboratório americano Pfizer, que doses suspeitas da vacina contra a Covid-19, apreendidas no México e Polônia, que eram vendidas por até mil dólares a unidade, eram falsas.

Em comunicado, a Pfizer afirmou que “Identificou versões falsas de sua vacina contra a covid-19 no México e Polônia”. Foi destacado também que a empresa trabalha com governos, fornecedores e profissionais de saúde para “para combater o comércio ilegal”.

Vacina produzida pela Pfizer

Foto: Reprodução/Agência Brasil

 

De acordo com fonte da Secretaria de Saúde do estado mexicano, 80 pessoas foram inoculadas com o fármaco falso.

Segundo o jornal americano, Wall Street Journal, no México, a substância foi encontrada em geladeiras de cerveja e tinha número de lote e datas de vencimento falsas. Já o líquido confiscado na Polônia era uma substância cosmética.

Na quarta-feira, o vice-diretor da Organização Pan-americana da Saúde (Opas), Jarbas Barbosa, fez um alerta sobre a oferta de vacinas anticovid falsas na Argentina, Brasil e México, denunciando um “problema” para as autoridades de saúde e policiais.

Barbosa insistiu que só se pode confiar nas vacinas administradas pelas autoridades de saúde porque só essas têm a garantia de serem “seguras e eficazes” e de terem sido conservadas nas condições adequadas.

LEIA MAIS

Conta de luz terá reajuste médio de 8,95% para clientes da CPFL em São Paulo

Burocracia impede vacinação de brasileiros na Grécia

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você