OMS rejeita criação de passaporte para quem estiver vacinado contra a covid

Segundo a agência, a prova de vacinação como requisito para entrar em algum país irá aprofundar desigualdades e afetar a liberdade de circulação

Por: Caroline Ripani | 19 abril - 14:37

Nesta segunda-feira (19), a Organização Mundial da Saúde (OMS) rejeitou a proposta feita por alguns países, de exigir a vacinação contra covid como requisito para uma pessoa viajar durante a pandemia.

Por meio da emissão de novas recomendações direcionadas a governos do mundo todo, a OMS declarou que não é necessário exigir prova de vacinação como condição de entrada em algum país, “dada a limitada (embora crescente) evidência sobre o desempenho das vacinas na redução da transmissão e a persistente iniquidade na distribuição global de vacinas”.

Passaporte virtual de vacinação

Foto: Reprodução/Getty Images

A Organização ainda afirmou que “os estados são fortemente encorajados a reconhecer o potencial das exigências de prova de vacinação como fator que irá aprofundar as desigualdades e afetar a liberdade de circulação”.

A União Europeia e outros países indicaram a possibilidade de estabelecer um passaporte de vacinação permitindo que pessoas cruzem fronteiras de forma livre. Em Israel, o passaporte já é autorizado, e dá acesso a academias de ginástica, bares, restaurantes e até jogos de futebol e shows.

Já não é a primeira vez que a OMS demonstra preocupação com a proposta. No começo de abril a porta-voz da agência, Margaret Harris, declarou: “Nós, como a OMS, dizemos que, neste estágio, não gostaríamos de ver o passaporte de vacinação como um requisito para a entrada ou saída porque não temos certeza de que a vacina previne a transmissão”.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

De acordo com a OMS, Opas vai comprar medicamentos de ‘kit intubação’ para o Brasil

Diretor da OMS diz que ‘o mundo inteiro tem visto o sofrimento do Brasil’

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você