OMS aponta que só a vacinação não será capaz de controlar pandemia no Brasil

A Organização destaca a necessidade de “ações amplas” dos governos e afirma que pandemia no Brasil é “muito grave”

Por: Murilo Amaral Feijó | 09 abril - 18:52

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou, nesta sexta-feira (9), que a pandemia de covid-19 no Brasil não será controlada apenas priorizando a vacinação.

De acordo com Maria van Kerkhove, líder técnica de covid-19 da OMS, explicou que “a vacina é apenas um componente, e é preciso adotar ações amplas, apoiadas por líderes, apoiadas pelos governos”.

Foto: Reprodução/OMS

Kerkhove reconhece o avanço da vacinação no país, mas afirma que o rumo da pandemia está na direção errada. “Estamos há seis semanas com os números de casos e de mortes em alta”, aponta ela.

A OMS lembra que, além da vacinação de grupos de risco e prioritários, também são necessárias ações para conter a disseminação do vírus. A Organização reafirma a necessidade do isolamento social, evitando a transmissão e o surgimento de novas variantes do coronavírus.

Bruce Hayward, conselheiro sênior da direção-geral da OMS, disse que a imunização contra a covid-19 ajuda na redução de internações e na proteção dos grupos prioritários. Porém, segundo Hayward, para evitar um aumento de contágio do vírus, são necessárias medidas de distanciamento.

A situação da pandemia no Brasil é avaliada pela OMS como “muito grave”, levando em conta os recordes letais, as ocupações de UTIs e as taxas de isolamento social.

Na última terça-feira (6), o Brasil passou a marca de 4 mil mortes por covid-19 em 24h. Desde o início da pandemia, foram confirmados 13.279.857 casos e 348.094 mortes por covid-19.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Rio Grande do Sul registra mais mortes do que nascimentos pela primeira vez na história

Centro de Contingência diz que São Paulo pode ter nova flexibilização no fim do mês

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você