OAB autoriza estudos logísticos para compra de vacinas contra a covid-19

A diretoria pode realizar estudos logísticos após a lei que permite que empresas privadas comprem imunizantes para vacinar seus funcionários foi sancionada

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 13 abril - 17:27

Nesta terça-feira (13) o Conselho Federal da OAB (Ordem de Advogados do Brasil) autorizou que a diretoria realize estudos logísticos para comprar a vacina contra o novo coronavírus. Lei aprovada pelo Congresso Nacional, e sancionada pelo presidente da república Jair Bolsonaro (sem partido), prevê que empresas privadas podem comprar vacinas para imunizar seus associados e funcionários. 

De acordo com a OAB, o estudo tem como intuito viabilizar a imunização da advocacia “somente após o término previsto no Plano Nacional de Imunização (PNI)”. A lei determina também que 50% das doses compradas pela iniciativa privada sejam doadas ao SUS.

Doses de Coronavac para vacinação;

Doses de Coronavac para vacinação; Foto: Agência Brasil/Divulgação

A OAB garante que “não irá realizar qualquer tipo de concorrência com o SUS” e que vai aguardar o momento em que existam imunizantes suficientes para a compra privada.

“O objetivo da medida é preparar e organizar o sistema OAB, analisando toda a logística necessária para armazenamento de doses, distribuição, grupos de vacinação e prazos para imunização da advocacia”, afirmaram.

A proposta foi aprovada hoje, de forma digital. Ainda segundo a OAB, as vacinas que serão utilizadas são aquelas autorizadas pela Anvisa “Não haverá solicitação de orçamentos junto aos laboratórios farmacêuticos, para evitar qualquer tipo de especulação de preços no mercado.”

LEIA MAIS

Pacheco diz a prefeitos que vai articular antecipação de vacinas pela iniciativa privada

Deputada propõe substitutivo à Lei de compra privada de vacinas com regras e sem o desconto no imposto de renda

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você