No total, mais de 500 pessoas morreram enquanto esperavam leitos de UTI no estado de SP

Por dia são, ao menos, 11 vidas perdidas na fila por leitos

Por: Maria de Toledo Leite | 02 abril - 21:19

Nesta quinta-feira (1º), pelo menos 11 pessoas morreram por Covid-19 enquanto esperavam por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Região Metropolitana de São Paulo.

Até agora, segundo o balanço feito pelo G1 e SP1, foram 507 vidas perdidas nessa situação no estado de São Paulo. Dessas perdas, 236 aconteceram em cidades do litoral e interior e as outras 271 foram na região metropolitana.

Profissional da saúde com luvas rosas e fazendo testes

Foto: Marcelo Seabra/Ag. Pará

O começo do mês de abril registrou 709 pacientes com Covid-19 à espera de um leito só na Região Metropolitana, sendo 400 na capital e 309 em outras cidades. A taxa de ocupação dos leitos de UTI continua em torno de 92% no estado e na Grande São Paulo.

A situação do estado de SP segue trágica. Nesta sexta-feira (2), a prefeitura afirmou que irá contratar mais duas câmaras de refrigeração para serem utilizadas devido o alto número de cremações. Além disso, o segundo maior cemitério de São Paulo atingiu seu total de vagas e teve que fechar temporariamente.

Nesta quinta-feira (1º), o estado registrou mais de mil mortes por Covid-19 em 24 horas pela terceira vez e ultrapassou o total de 75 mil vidas perdidas para a doença desde o começo da pandemia. A média móvel diária de óbitos bateu recorde e chegou a 890 mortes. O São Paulo também encerrou o mês de março, o mais letal da pandemia no país, com mais de 15 mil mortes pela Covid-19.

Com as medidas mais severas de restrição no estado, foi  notada uma leve estabilização na média de novas internações na UTI e enfermaria. Mesmo assim, a taxa de casos pela doença no estado ainda não parou de crescer.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Vacinação dos 68 anos começa hoje em São Paulo; veja locais

1 a cada 5 brasileiros com covid-19 morreu em março

 

 

 

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você