Ministério da Saúde lançará protocolo de remédio contra a Covid e cogita a Cloroquina

Queiroga afirmou que o desejo do presidente Jair Bolsonaro é de que os profissionais de saúde tenham autonomia no tratamento dos pacientes infectados pela Covid

Por: Sophia Bernardes | 23 abril - 12:05

Marcelo Queiroga, um mês após tomar posse do cargo, revelou que irá lançar um protocolo de medicamentos a serem utilizados pelos profissionais de saúde no tratamento contra a Covid-19, entre os prováveis medicamentos, estão a Cloroquina e a Ivermectina, remédios que de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não são eficazes no enfrentamento à Covid.

Em entrevista à Globo, Queiroga afirmou, “O que vou fazer no ministério da Saúde é submeter à Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia no SUS (Conitec) a análise de todos os fármacos que se usam no tratamento da covid-19, qualificando a evidência científica que há em relação a cada um deles”.

Foto: Agência Brasil

Além disso, Queiroga afirmou que o desejo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é de que os profissionais de saúde tenham autonomia no tratamento dos pacientes infectados pela Covid.

Em relação a medicamentos como a cloroquina e a ivermectina, o ministro admite que “há consenso amplo de que essa medicação” não é eficiente em pacientes com “covid grave”, ainda que “alguns estudos observacionais mostram alguns benefícios desses dois fármacos” em pacientes no estágio inicial da doença.

Ainda pontua que o protocolo já em fase de preparação não será apenas sobre medicamentos contra a covid-19, mas também sobre “todos os tipos de tratamento”. “O objetivo é orientar a conduta. Para que médicos sigam um guia, uma recomendação. Claro que os médicos têm autonomia, mas para atuar dentro de contexto de evidências médicas e da legislação brasileira. Esse protocolo é um guia. Uma recomendação”, destacou.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Eduardo Pazuello é transferido para a Secretaria-Geral do Exército no governo Bolsonaro

SUS recebe remédios do ‘kit intubação’ em mandarim, e entidades pedem tradução para evitar riscos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você