Lewandowski dá prazo de um mês para Anvisa decidir sobre o uso emergencial da Sputnik V

Caso a agência não dê resposta, o estado do Maranhão está autorizado a comprar e vacinar seus habitantes com o imunizante russo

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 13 abril - 17:30

Nesta terça-feira (13) o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou um prazo máximo de 30 dias para que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) tome uma decisão sobre a importação excepcional e temporária da vacina russa, Sputnik V. 

O estado do Maranhão, autor da petição, estará autorizado a importar e vacinar seus habitantes com a vacina russa, caso a agência não se posicione dentro do prazo estipulado.

Foto: Reprodução/ Agência Brasil

No dia 9 de abril, o estado do maranhão acionou o STF pedindo que a Anvisa autorizasse a importação e o uso emergencial do imunizante, segundo o governador Flávio Dino o aumento de casos no estado acontece pela falta de doses (PCdoB) “a gravidade da situação sanitária do Estado em decorrência da escassez.” de imunizantes contra o coronavírus. 

Governadores pressionam Anvisa para importação da vacina Sputnik V

A Anvisa informou no dia primeiro de abril, que a União Química – farmacêutica que representa a vacina russa Sputnik V no Brasil – ainda não enviou todos os documentos necessários para realizar a análise para o uso emergencial, portanto, não pode ainda aprovar o uso da mesma. 

Em nota, a Anvisa informou que recebeu um dos itens mínimos para fazer a solicitação do imunizante, mas que outras informações sobre o insumo continuam pendentes. Assim, a agência suspendeu o prazo de sete dias úteis para a resposta da análise. 

Ainda na decisão, Lewandowski rejeitou o pedido feito pela Anvisa, para que seja decretado sigilo no processo, “reputo presente o interesse público a justificar a divulgação de tudo aquilo que neles se contém”, disse o ministro.

Frente dos prefeitos negociam 30 milhões de doses da Sputnik

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), confirmou que o Consórcio Conectar, movimento liderado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), segue em negociações para comprar 30 milhões de doses da vacina produzida na Rússia, Sputnik V.

A entrega deve ser feita entre maio e junho, após a Anvisa autorizar o uso do imunizante. Ontem (12) a agência informou também que adiou a visita à fábrica do imunizante na Rússia e agora está marcada para acontecer entre os dias 19 e 23 de abril.

LEIA MAIS

Índia aprova a vacina russa Sputnik V contra covid-19

Estados pedem a importação de 66,6 milhões de doses da vacina russa Sputnik V; O pedido é apoiado pela Anvisa

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você