Jovens e menos escolarizados foram mais afetados pela pandemia, segundo Ipea

O número corresponde a quase 4,1 milhões de profissionais desempregados

Por: Bianca Antunes | 14 abril - 15:33

Os trabalhadores entre 18 e 24 anos e os com menor escolaridade foram os mais prejudicados pela pandemia do coronavírus, de acordo com levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgado nesta quarta-feira (14).

A pesquisa mostra que a taxa de desocupação dos jovens saltou de para 29,8% no quarto trimestre de 2020, sendo 23,8% no mesmo período do ano anterior. O número corresponde a quase 4,1 milhões de profissionais desempregados.

carteira de trabalho

Foto: Agência Brasil/Divulgação

Já no recorte por escolaridade, o desemprego cresceu mais entre os com o ensino médio incompleto, de 18,5% em 2019 para 23,7% em 2020. Por outro lado, houve alta de 4% entre os trabalhadores que têm ensino superior completo.

A taxa de desemprego ainda foi maior entre as mulheres, ficando em 16,4%, do que entre os homens, com 11,9%.

“Foi se tornando cada vez mais evidente, principalmente nos segmentos mais vulneráveis, os jovens e os menos escolarizados, cuja probabilidade de transitar da desocupação e da inatividade para a ocupação, que já era baixa, se tornou ainda menor”, disse a economista Maria Andreia Lameiras, autora do estudo.

LEIA MAIS:

Decreto assinado por Bolsonaro inclui Correios em programa de privatizações

Criminoso que deu o maior golpe financeiro da história, Bernie Madoff, morre na prisão aos 82 anos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você