Fase vermelha deve continuar em SP, segundo João Gabbardo

Nas palavras do coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, talvez não haverá flexibilização

Por: Leonardo Fernandes | 05 abril - 10:03

Em entrevista ao jornal “Bom Dia São Paulo”, da TV Globo, o coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus de SP afirmou que a flexibilização na região não deve acontecer. João Gabbardo, na edição desta segunda-feira (5), disse que as restrições talvez continuarão em vigor, ao levar em consideração os dados da doença no estado.

Gabbardo falou sobre a diminuição nas internações por complicações da Covid-19, e sobre a redução no número de casos; mas disse que São Paulo ainda enfrenta a pior fase da pandemia. O número de mortes pelo novo coronavírus ainda segue alta.

Taxa de isolamento em SP continua a 43% mesmo após uma semana de fase emergencial

Imagem ilustrativa da cidade de São Paulo. De acordo com coordenador do Centro de Contingência, flexibilização ainda é uma realidade distante. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Segundo o coordenador, a suposta flexibilização será decidida pelos especialistas responsáveis pela pasta da Saúde, mas os números ainda não são satisfatórios para mudanças tão grandes assim.

“Isso será decidido durante essa semana pelo comitê, mas a tendência é que nós não tenhamos muitas condições para flexibilização. Os números não são aqueles que nos dão algum otimismo em relação à possibilidade de flexibilizar, ou sair da fase vermelha”, disse. O que deve acontecer é uma manutenção nas próprias restrições, e talvez a saída da fase roxa, ou fase emergencial, que está em vigor desde a metade de março.

Na fase emergencial, os serviços não essenciais ficam fechados e o toque de recolher acontece a partir das 20h. A medida deve terminar no dia 11 de abril. Já na fase vermelha, serviços como mercados e farmácias funcionam com capacidade de clientes reduzida.

Hoje, a taxa de ocupação das UTIs está em torno de 91%, de acordo com Gabbardo. “Temos um desafio muito grande, que é reduzir pelo menos mais 10 pontos e chegar em ter 80% de ocupação, que seria razoável para pensar em alguma flexibilização”.

A partir desta segunda, São Paulo começa a vacinação da administração penitenciária e dos profissionais de segurança pública. No dia 12 de abril, será a vez dos profissionais da educação, na idade dos 47 anos.

*Com informações do UOL

Leia mais notícias:

Vacinação dos 68 anos é ampliada em São Paulo; veja os locais

Governo de São Paulo deve realizar coletiva de imprensa hoje

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você