Equipe mineira vai à Rússia tentar viabilizar a compra de doses da Sputnik V

O prefeito de Betim (MG), Vittorio Medioli, espera que a liberação do imunizante ainda possa acontecer nos próximos dias

Por: Caroline Ripani | 28 abril - 13:36

Na última terça-feira (27), foi divulgado pela Prefeitura de Betim, em Minas Gerais, a ida de membros da administração local à Rússia entre os dias 10 e 11 de maio com objetivo de viabilizar a compra de 1,2 milhões de doses da vacina contra covid, Sputnik V.

O anúncio foi feito um dia após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ter negado a importação do imunizante russo, solicitada por alguns estados e municípios.

Dois frascos contendo a vacina russa contra coronavírus, Sputnik V

Foto: Reprodução/Flickr

Segundo o órgão regulador, o fabricante da Sputnik não apresentou em relatório enviado à Anvisa, a análise de segurança da vacina por faixa etária, por comorbidades e para soropositivos para o SARS-CoV-2. Além disso, foram encontradas falhas de segurança associadas ao desenvolvimento do produto.

Apesar da decisão da agência, o Prefeito de Betim, Vittorio Medioli, espera que a liberação do imunizante ainda possa acontecer nos próximos dias e afirmou que não vai desistir da compra.

“Não conseguimos finalizar [a compra de outras vacinas] até mesmo porque as propostas são por valor muito acima da média e nós, como entes públicos, não podemos compactuar com isto”, disse.

A expectativa da Prefeitura de Betim é realizar a compra de 1,2 milhão de doses da Sputnik V para vacinar os 450 mil habitantes do município, além de pessoas que trabalham na cidade.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Médico afirma que, pressão para importação de Sputnik V tem que ser sobre o laboratório

Rússia promete enviar ao Brasil os dados necessários sobre a Sputnik V

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você