De acordo com o diretor do Butantan, as entregas de vacinas serão retomadas no dia 3 de maio

A previsão inicial era que o instituto concluísse o primeiro contrato com o Ministério da Saúde para o fornecimento de 46 milhões de doses até o fim de abril

Por: Sophia Bernardes | 27 abril - 11:50

Na manhã desta terça-feira (27), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que apesar do pequeno atraso, as entregas dos imunizantes contra a covid-19 ao Ministério da Saúde, serão retomadas no dia 3 de maio. A previsão inicial era que o instituto concluísse o primeiro contrato com o Ministério da Saúde para o fornecimento de 46 milhões de doses até o fim de abril. No total, restam ser entregues 3,2 milhões de doses.

Dimas Covas, deu uma entrevista à CBN, e contestou as declarações do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que  durante audiência no Senad, ocorrida ontem, afirmou haver “dificuldades com a segunda dose”.

De acordo com o diretor do Butantan, a programação foi feita com antecedência e o Ministério da Saúde imediatamente avisado da possibilidade de “qualquer interveniência”.

O governo federal orientou, desde março, que não era mais necessário reservar metade dos lotes da Coronavac para garantir a segunda dose e municípios correm o risco de suspender a campanha vacinal até que as entregas sejam restabelecidas – ou de vacinar pessoas além do período previsto para eficácia máxima do imunizante.

“Alguns Estados fizeram a reserva para a segunda dose, como é o caso de São Paulo, portanto aqui não tem faltado a segunda dose no prazo determinado. Agora, outros não fizeram essa reserva, inclusive por conta da orientação do próprio ministério”, afirmou Covas.

Para fundador da Anvisa, decisão de recusar a importação da Sputnik V deve ser respeitada

Número de mortes por Covid-19 em 2021 no Brasil já supera todo o ano de 2020

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você