Anvisa nega pedido do Ministério da Saúde para importar doses da Covaxin

Ministério planejava entregar 20 milhões de doses do imunizante indiano até maio

Por: Murilo Amaral Feijó | 31 março - 17:37

Nesta quarta-feira (31), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu em consenso negar o pedido do Ministério da Saúde de “autorização excepcional e temporária para importação e distribuição” da vacina Covaxin.

A certificação do imunizante produzido pela empresa indiana Bharat Biotech já havia sido recusado pela Anvisa na última terça-feira (30). A Covaxin foi aprovada para uso emergencial na Índia.

Foto: Reprodução/Instagram

O governo federal planejava a compra de 20 milhões de doses da Covaxin até maio. Com a decisão da Anvisa, o cronograma de vacinação do Ministério da Saúde, que contava com a importação do imunizante, deve ser afetado.

No planejamento do governo, 8 milhões de doses seriam compradas em março, mais 8 milhões em abril e 4 milhões em maio.

Durante a reunião, quatro diretores da Agência votaram contra o pedido, alegando falta de documentos essenciais que comprovassem a segurança e eficácia da Covaxin. Alex Machado Campos, diretor-relator do processo, afirmou que “há incerteza sobre a eficácia e a segurança da vacina, uma vez que os dados necessários para análise não foram apresentados”.

Confira o cronograma completo de entrega de vacinas contra a covid

A Anvisa apontou a falta de documentos como “certificação de liberação de lotes”, “licença de importação” e “relatório técnico da autoridade que concedeu o uso emergencial”.

Mais cedo, a Agência autorizou o uso emergencial da vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, contra a covid-19.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Oxford/AstraZeneca: Agência Europeia de Medicamentos reafirma segurança da vacina

Em SP, dois grupos etários atingem 100% de vacinação na primeira dose

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você