ABTO diz que transplantados têm dez vezes mais riscos de morrer de covid-19

A associação pede por urgência na vacinação desse grupo

Por: Bianca Antunes | 23 março - 16:30

De acordo com a Sociedade Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), a taxa de letalidade – que mede a porcentagem de óbitos por pessoa contaminadas – da covid-19 em pessoas que receberam transplante de órgão é de 20%.

O número é preocupante, já que na população geral essa taxa é de 2,4%. Essa grande diferença se dá pelo fato dos transplantadores precisarem tomar medicamento imunossupressores por toda a vida para evitar a rejeição do órgão recebido.

Foto: Divulgação/Governo de São Paulo

“Esses medicamentos debilitam o sistema imunológico, tornando esses pacientes mais vulneráveis a infecções. Por isso, a infecção por covid-19 nesse grupo tende a ser mais grave e daí a urgência em serem imunizados”, explica José Huygens Garcia, presidente da ABTO.

Assim, a associação pede por urgência na vacinação desse grupo, que conta com aproximadamente 80 mil pessoas. O Ministério da Saúde informou que “os pacientes imunossuprimidos, como os oncológicos e transplantados, entre outros, estão contemplados no ‘Grupo com comorbidades’ desde a 1ª edição do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19”.

LEIA TAMBÉM:

Pazuello vai anunciar vacinação de professores e policiais para abril

STF nega pedido de Bolsonaro para impedir medidas restritivas dm RS, BA E DF

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você