Vacinas da Pfizer e Moderna parecem ser seguras para gestantes, mostram dados preliminares

O estudo analisou mais de 35 mil gestantes, em que 3.958 grávidas que receberam uma vacina de mRNA

Por: Bianca Antunes | 22 abril - 15:36

De acordo com pesquisa do New England Journal of Medicine, publicada na quarta-feira (21), as vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna não parecem apresentar nenhum risco para a saúde de gestantes.

O estudo preliminar analisou mais de 35 mil gestantes, em que 3.958 grávidas que receberam uma vacina de mRNA. Desse modo, as descobertas só são relevantes para as vacinas que utilizam essa tecnologia, não indicando dados para vacinas que utilizam vírus inativado ou vetor viral, como a AstraZeneca e a Coronavac.

Mão de profissional da saúde aplicando vacina no braço de uma senhora

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O grupo que recebeu a vacina não teve número de casos de perda do bebê ou nascimento prematuro significantemente maior do que o registrado nos grupos que não receberam a vacina.

Ainda foi notável que os efeitos colaterais ocorreram com menos frequência, incluindo dores de cabeça, dores musculares, calafrios e febre. O sintoma mais comum foi a dor no local da aplicação da injeção.

Pesquisadores afirmam que estudos de longo prazo são necessários para avaliar a segurança da vacina na gravidez, mas os dados já oferecem alguma segurança para as gestantes que podem ajudar países a decidirem a inclusão do grupo no programa de vacinação.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), autoridade americana da saúde, já aconselham que as vacinas contra a covid-19 sejam oferecidas às gravidas, mesmo sem dados robustos. A autoridade afirma que “dificilmente” as vacinas representarão “algum risco específico”.

LEIA TAMBÉM:

Pfizer confirma que vacinas usadas no México e Polônia eram falsas

Ministério envia lote de 3,5 milhões de doses de vacina a estados e DF

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você