Políticos e empresários de BH tomaram a primeira dose da vacina da Pfizer

O laboratório nega que tenha vendido seu imunizante; Além disso, as doses não foram doadas ao SUS e a sua aplicação ocorreu de maneira não prevista na Lei

Por: Larissa Placca | 24 março - 23:49

Em Minas Gerais (BH), um grupo de políticos e empresários tomou nesta terça-feira (23), a primeira dose da vacina da Pfizer contra a Covid-19.

O grupo comprou o imunizante por iniciativa própria e não repassaram metade ao SUS (Sistema Único de Saúde), como prevê a lei. Leia a matéria completa.

pessoa jovem tomando vacina contra a covid

Foto: Agência Brasil/Divulgação

As duas doses custaram a cada pessoa 600 reais. O ex-senador Clésio Andrade foi um dos agraciados. “Estou com 69 anos, minha vacinação [pelo SUS] seria na semana que vem, eu nem precisava, mas tomei. Fui convidado, foi gratuito para mim”, disse.

Uma fonte confirmou que vacina era da Pfizer, mas a produtora nega que tenha vendido seu imunizante “fora do âmbito do programa nacional de imunização”.

O Congresso aprovou há cerca de vinte dias Projeto de Lei que autoriza a compra de vacinas pela iniciativa privada, mas determina que todas as doses devem ser doadas ao SUS até que os grupos de risco – 77,2 milhões de pessoas, tenham sido plenamente imunizados em todo o país.

Após a imunização dos grupos prioritários, as vacinas compradas devem ser divididas com o SUS. O PL é de projeto de autoria do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). O Brasil vacinou menos de 15 milhões de pessoas até agora.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

OAB aponta “completo despreparo do governo federal na gestão da crise sanitária”

Queiroga anuncia secretaria de combate à covid-19 e planeja vacinar 1 milhão de pessoas por dia

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você